Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Cunhada e filho de Cristina Kirchner são eleitos na Argentina

Alicia, irmã de Néstor Kirchner, foi eleita governadora da província de Santa Cruz, no sul do país. Máximo, filho de Cristina e Néstor, foi eleito deputado pela mesma província

Por Da Redação 26 out 2015, 09h56

Alicia Kirchner, cunhada da presidente argentina, Cristina Kirchner, foi eleita governadora de Santa Cruz, e o filho mais velho da mandatária foi eleito deputado pela mesma província, reduto eleitoral do kirchnerismo, segundo dados divulgados nesta segunda-feira. Com 96,54% dos votos apurados, Alicia Kirchner contava com 51,59% e já era impossível para seu principal rival, Eduardo Costa, candidato da opositora Frente para Viver Melhor, alcançá-la. “Há alguns meses dizia que Alicia ia ser governadora de Santa Cruz. Aqui não existem projetos pessoais, apenas projetos coletivos”, disse Maximo, 38 anos, que conquistou seu primeiro cargo eletivo.

No comitê eleitoral da coligação governista Frente para a Vitória (FPV) em Río Gallegos, capital da província ao sul de Buenos Aires, Alicia Kirchner afirmou na madrugada desta segunda-feira que recebeu uma ligação presidente para felicitá-la. “Ela me ligou para me dar os parabéns e disse ‘olá, governadora’, mas ainda soa estranho pra mim”, disse Alicia, irmã do falecido ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), quem governou por três mandatos Santa Cruz antes de chegar à Presidência.

Leia também

Macri surpreende Scioli e Argentina terá segundo turno

Após 8 anos, Argentina vai voltar a ter primeira-dama. Conheça as candidatas

Cristina Kirchner, seu governo ruim, sua economia fraca e seu candidato favorito

Kirchnerismo sofre derrota em Buenos Aires – O chefe de gabinete da presidente Cristina Kirchner, Aníbal Fernández, admitiu sua derrota na província de Buenos Aires para a candidata de direita María Eugenia Vidal, a primeira mulher que governará o mais populoso e economicamente mais importante distrito da Argentina. “Quero felicitar a senhora Vidal e reconhecer a derrota”, disse nesta segunda em uma coletiva de imprensa. Fernández atribuiu sua derrota na província ao “grande dano” feito por denúncias jornalísticas que o vinculavam a casos de corrupção.

Em nível nacional, o candidato da presidente, Daniel Scioli, disputa no dia 22 de novembro o segundo turno com o candidato opositor Mauricio Macri, atual prefeito da cidade de Buenos Aires. Analisados 96,89% dos votos em todo o país, Scioli obtinha 36,85% dos votos e Macri 34,34%, enquanto o terceiro mais votado foi o candidato de centro-direita e ex-aliado de Kirchner, Sergio Massa (21,34%)

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)