Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cuba avalia danos de chuvas que provocaram evacuações maciças

Havana, 26 mai (EFE).- As intensas chuvas registradas no centro de Cuba nos últimos dias deixaram dois desaparecidos e provocaram a evacuação de milhares de pessoas, apesar de a situação ter começado a voltar ao normal neste sábado enquanto as autoridades avaliam os danos.

Sancti Spíritus, localizada a 348 quilômetros ao leste de Havana e considerada a província mais afetada, mantinha neste sábado mais de 8,5 mil pessoas evacuadas e todos seus rios e açudes cheios a 98% de sua capacidade, segundo informou a televisão estatal.

A maioria dos evacuados reside em áreas situadas abaixo da represa Zaza, considerada a maior de Cuba, e foram transferidos pelas autoridades para escolas condicionadas como albergues e casas de parentes e amigos em áreas seguras.

A represa Zaza, com volume para armazenar até 1 bilhão de metros cúbicos de água, recebeu 800 milhões de metros cúbicos em menos de 48 horas e desde ontem suas comportas estão vertendo.

A presidente do Instituto Nacional de Recursos Hídricos, Inés María Chapman, disse hoje a um telejornal nacional que a situação está sob observação, mas lembrou de seus benefícios para a agricultura na ilha, afetada pela seca nos últimos anos.

A previsão meteorológica é que continuará chovendo na região central e ocidental e por isso deve manter-se o alerta perante as condições de saturação dos solos.

Até o momento os meios de comunicação da ilha não ofereceram mais informação sobre o desaparecimento de um cidadão cubano e outro francês enquanto tentavam atravessar rios durante as cheias.

Uma nota do Estado-Maior Nacional da Defesa Civil informou na sexta-feira que os dois incidentes aconteceram em localidades de Sancti Spíritus e apontou que continuariam os trabalhos de busca. EFE

arj/rsd