Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cronologia dos fatos mais relevantes após o terremoto no Japão

Tóquio, 6 mar (EFE).- Um ano após os devastadores terremoto e tsunami do dia 11 de março, o nordeste do Japão está em plena reconstrução, e os reatores de Fukushima em ‘parada fria’, enquanto milhares de operários ainda lutam pôr fim à crise.

Estes são os fatos mais relevantes ocorridos durante o ano que se seguiu à pior crise do Japão após a Segunda Guerra Mundial:.

Março-2011.

Dia 11.- Um terremoto de 9 graus na escala Richter e um devastador tsunami arrasam o nordeste do Japão e paralisam o sistema de refrigeração da central de Fukushima Daiichi.

Dia 12.- Ocorre uma explosão de hidrogênio no prédio do reator 1 de Fukushima. O alerta atômico esclarece sobre a evacuação da população próxima à unidade.

Dia 14.- Explosão de hidrogênio na unidade do reator 3 de Fukushima.

Dia 15.- Outra explosão sacode o prédio do reator 2 de Fukushima e acontece um incêndio no reservatório de combustível do reator 4.

Dia 16.- O imperador Akihito emite pela primeira vez uma mensagem pela televisão à nação para pedir aos japoneses que se ajudem e resistam.

Dia 21.- Detectada elevada radioatividade na água marinha próxima à central e também em alguns alimentos, cuja distribuição é proibida.

Abril.

Dia 12.- O acidente é elevado ao nível 7, o máximo na Escala Internacional Nuclear e de Fatos Radiológicos.

Dia 17.- A Tepco, operadora da central, apresenta um plano para controlar a crise.

Dia 21.- O governo japonês decreta como zona de exclusão um raio de 20 quilômetros em torno da usina.

Maio.

Dia 2.- O Parlamento aprova um primeiro orçamento extra de 33 bilhões de euros para a reconstrução.

Dia 14.- Preventivamente, a usina nuclear de Hamaoka é paralisada. A unidade é considerada a mais perigosa do Japão por se situar em uma zona de grande atividade sísmica.

Dia 15.- A zona de evacuação ao redor da central de Fukushima é ampliada para alguns povoados situados a cerca de 40 quilômetros.

Junho.

Dia 2.- O primeiro-ministro, Naoto Kan, vence uma moção de censura, mas promete renunciar uma vez canalizada a crise.

Dia 3.- O número de réplicas do terremoto de março superiores a 5 graus na escala Richter passa de 500.

Dia 14.- O governo aprova uma lei para ajudar a Tepco, a empresa operadora de Fukushima, a enfrentar as indenizações.

Julho.

Dia 6.- O governo decide que todos os reatores nucleares do Japão deverão se submeter a testes de resistência.

Dia 11.- Detectado césio radioativo em carne bovina de uma fazenda de Fukushima.

Dia 19.- O governo proíbe a distribuição de carne bovina de Fukushima.

Dia 25.- Aprovado um segundo orçamento extraordinário para a reconstrução no valor de 17,7 milhões de euros.

Agosto.

Dia 3.- O Parlamento cria uma entidade que abonará fundos de compensação a vítimas de Fukushima para evitar a quebra da Tepco.

Dia 12.- O governo rebaixa a previsão do PIB para o exercício 2011 de 1,5% para 0,5% pelo impacto do terremoto de março.

Dia 30.- Naoto Kan renuncia como primeiro-ministro do Japão por causa das críticas à sua gestão da crise.

Setembro.

Dia 2.- O ex-ministro de Finanças Yoshihiko Noda toma posse como novo primeiro-ministro.

Dia 7.- O júri dos Prêmios Príncipe de Astúrias concede o prêmio da Concórdia aos ‘heróis de Fukushima’.

Dia 11.- O nordeste do Japão fica paralisado para prestar homenagem às vítimas do tsunami seis meses depois, enquanto em Tóquio milhares de pessoas pedem o fechamento das usinas nucleares.

Outubro.

Dia 29.- Termina a cobertura do edifício do reator 1 com lâminas de poliéster para conter as emissões radioativas.

Dia 31.- O Japão retoma seu acordo com o Vietnã para fornecimento de tecnologia nuclear.

Novembro.

Dia 14.- É divulgado que o PIB do Japão cresceu entre julho e setembro 6% graças à recuperação da produção industrial e do consumo interno.

Dia 21.- O Parlamento aprova o terceiro orçamento extra para a reconstrução no valor de 115 bilhões de euros.

Dezembro.

Dia 16.- O governo confirma que os reatores da central de Fukushima danificados pelo tsunami estão em ‘parada fria’.

Janeiro-2012.

Dia 1.- Um terremoto de 7 graus sacode a costa próxima a Tóquio sem deixar danos.

Dia 4.- O Japão inaugura o primeiro centro de descontaminação radioativa em Fukushima e começa a limpeza de prédios na zona de exclusão.

Dia 5.- Anunciado que cada saca de arroz colhida em Fukushima será analisada, devido à detecção de níveis excessivos de césio em algumas.

Dia 31.- O governo aprova um projeto de lei para limitar a vida útil das usinas nucleares a 40 anos com prorrogações excepcionais de outros 20 anos.

Fevereiro.

Dia 21.- O Japão para o último reator de sua central de Takahama, o que deixa ativas apenas duas das 54 unidades do país. EFE