Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Croácia registra níveis altos de alumínio no Danúbio

Análise da água foi feita no limite com a Hungria, onde ocorreu o vazamento

Não foram registradas significativas alterações das concentrações de outros metais perigosos, como arsênico, cromo e mercúrio

Autoridades da Croácia detectaram nas águas do Rio Danúbio um nível de alumínio até 4,5 vezes acima do normal. A Direção Estatal de Proteção e Salvamento (DSUZ) informou nesta sexta-feira que a análise provém de uma amostra retirada no último dia 12, em Batina, ponto que o rio separa a Croácia da Hungria – país onde ocorreu um grande vazamento de resíduos tóxicos de uma fábrica de alumínio no último dia 4.

Segundo o Instituto Croata de Toxicologia, porém, não se trata de uma quantidade tóxica preocupante ou nociva à saúde humana. Se alguém, por exemplo, bebesse dois litros dessa água, teria ingerido milhares de vezes menos alumínio do que pessoas que sofrem de úlcera costumam absorver diariamente por meio de medicamentos.

Concentração – De acordo com o relatório da DSUZ, as análises de água feitas no dia seguinte a esta primeira já mostraram uma concentração menor: 3,1 vezes superior ao considerado normal. Já as do dia 14 foram ainda menores, com tendência a diminuir cada vez mais. Não foram registradas significativas alterações das concentrações de outros metais perigosos, como arsênico, cromo e mercúrio.

Os resíduos tóxicos chegaram ao Rio Danúbio dias depois do acidente na represa de uma fábrica de alumínio na Hungria, de onde vazaram cerca de 1 milhão de metros cúbicos de lama vermelha, matando oito pessoas e ferindo mais de 150.

(Com agência EFE)