Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Crítico de Bolsonaro, prefeito de NY abandona disputa pela Casa Branca

Desistência de Bill de Blasio é celebrada por Donald Trump; 19 pré-candidatos democratas continuam na disputa, com Joe Biden na liderança

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou nesta sexta-feira, 20, sua renúncia à pré-candidatura democrata para as eleições presidenciais dos Estados Unidos. As pesquisas de intenção de voto são lideradas pelo ex-vice-presidente Joe Biden, seguido pelos senadores Bernie Sanders e Elizabeth Warren.

De Blasio notabilizou-se, entre os brasileiros, por suas críticas ao presidente Jair Bolsonaro, a quem chamou de “homofóbico com orgulho” e destruidor do meio ambiente. Em maio passado, ele se opôs à presença do líder brasileiro em Nova York para receber um prêmio. A cerimônia foi transferida para Houston, no Texas.

“Claramente não é minha hora, vou encerrar minha campanha presidencial”, disse de Blasio à rede de televisão MSNBC. “Acredito que dei tudo o que pude nestas primárias. Seja quem for o indicado, vou estar lá por ele.”

O anúncio ocorre depois de De Blasio não ter se qualificado para o debate televisivo mais recente entre os pré candidatos, em Houston (Texas), na semana passada. Os critérios são a arrecadação de recursos para a campanha de mais de 130.000 doadores e pelo menos 2% de intenções de votos. Sua ausência prolongada na prefeitura, enquanto fazia campanha eleitoral também gerou críticas generalizadas, incluindo as do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que aproveitou o anúncio para ridicularizar De Blasio.

“Ah, não, ótimas notícias políticas, talvez a maior história em anos! O prefeito em tempo parcial da cidade de Nova York, Bill de Blasio, que obteve um zero sólido nas pesquisas, mas tinha um espaço enorme para crescer, se aposentou da corrida presidencial”, disse Trump no Twitter.

De Blasio é o quinto pré-candidato democrata a abandonar a disputa. Restam ainda na corrida dezenove concorrentes, entre os quais o ex-secretário de Trabalho, Julian Castro, a senadora Kamala Harris e o ex-deputado Beto O’Rourke.

A disputa democrata só chegará às urnas no dia 3 de fevereiro de 2020, quando ocorrerá a primária em Iowa, estado do meio-oeste americano. No lado republicano, o atual presidente, Donald Trump, já anunciou que buscará a reeleição. Apesar de ter três concorrentes na briga pela indicação do partido, Trump é apontado como o favorito, segundo as pesquisas.

As convenções de ambos os partidos, nas quais os candidatos serão eleitos, serão realizadas em meados do ano que vem. As eleições presidenciais estão marcadas para o início de novembro de 2020.

(Com EFE e AFP)