Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Crítico de Bolsonaro, prefeito de NY abandona disputa pela Casa Branca

Desistência de Bill de Blasio é celebrada por Donald Trump; 19 pré-candidatos democratas continuam na disputa, com Joe Biden na liderança

Por Da Redação Atualizado em 20 set 2019, 12h52 - Publicado em 20 set 2019, 12h25

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou nesta sexta-feira, 20, sua renúncia à pré-candidatura democrata para as eleições presidenciais dos Estados Unidos. As pesquisas de intenção de voto são lideradas pelo ex-vice-presidente Joe Biden, seguido pelos senadores Bernie Sanders e Elizabeth Warren.

De Blasio notabilizou-se, entre os brasileiros, por suas críticas ao presidente Jair Bolsonaro, a quem chamou de “homofóbico com orgulho” e destruidor do meio ambiente. Em maio passado, ele se opôs à presença do líder brasileiro em Nova York para receber um prêmio. A cerimônia foi transferida para Houston, no Texas.

“Claramente não é minha hora, vou encerrar minha campanha presidencial”, disse de Blasio à rede de televisão MSNBC. “Acredito que dei tudo o que pude nestas primárias. Seja quem for o indicado, vou estar lá por ele.”

O anúncio ocorre depois de De Blasio não ter se qualificado para o debate televisivo mais recente entre os pré candidatos, em Houston (Texas), na semana passada. Os critérios são a arrecadação de recursos para a campanha de mais de 130.000 doadores e pelo menos 2% de intenções de votos. Sua ausência prolongada na prefeitura, enquanto fazia campanha eleitoral também gerou críticas generalizadas, incluindo as do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que aproveitou o anúncio para ridicularizar De Blasio.

“Ah, não, ótimas notícias políticas, talvez a maior história em anos! O prefeito em tempo parcial da cidade de Nova York, Bill de Blasio, que obteve um zero sólido nas pesquisas, mas tinha um espaço enorme para crescer, se aposentou da corrida presidencial”, disse Trump no Twitter.

Continua após a publicidade

De Blasio é o quinto pré-candidato democrata a abandonar a disputa. Restam ainda na corrida dezenove concorrentes, entre os quais o ex-secretário de Trabalho, Julian Castro, a senadora Kamala Harris e o ex-deputado Beto O’Rourke.

A disputa democrata só chegará às urnas no dia 3 de fevereiro de 2020, quando ocorrerá a primária em Iowa, estado do meio-oeste americano. No lado republicano, o atual presidente, Donald Trump, já anunciou que buscará a reeleição. Apesar de ter três concorrentes na briga pela indicação do partido, Trump é apontado como o favorito, segundo as pesquisas.

As convenções de ambos os partidos, nas quais os candidatos serão eleitos, serão realizadas em meados do ano que vem. As eleições presidenciais estão marcadas para o início de novembro de 2020.

(Com EFE e AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês