Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Crise na Ucrânia: tropas dos EUA e jatos britânicos são enviados ao Báltico

Comandante afirma que forças devem tranquilizar aliados na região

Por Da Redação 28 abr 2014, 21h15

Tropas americanas e quatro caças britânicos chegaram à região do Mar Báltico nesta segunda-feira como parte dos esforços da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) de tranquilizar países-membros da região em meio à escalada da tensão entre a Rússia e a Ucrânia.

Quatro caças Typhoon da Força Aérea Real britânica desembarcaram na base aérea de Siauliai, no norte da Lituânia – os primeiros das 12 aeronaves que irão aumentar o patrulhamento aéreo no Báltico – e 150 soldados norte-americanos foram destacados para a base aérea Amari, na Estônia.

Os chamados Estados Bálticos – Estônia, Letônia e Lituânia, que já fizeram parte da antiga União Soviética – têm forças militares pouco expressivas. São membros da Otan desde 2004, mas não contavam com a presença permanente de tropas estrangeiras, em parte para evitar, justamente, um antagonismo com a Rússia.

Desde que Moscou passou a patrocinar militantes separatistas pró-Rússia na Ucrânia e anexou a Crimeia, essas três nações têm se mantido em alerta. Todas elas possuem um histórico turbulento de relações com o Kremlin e têm populações de origem russa em número significativo. Seu temor é que Moscou passe a estimular o separatismo nessas regiões, tal como fez na Ucrânia.

Leia também

Militantes pró-Rússia libertam militar sueco na Ucrânia

Continua após a publicidade

Militares europeus retidos em Slaviansk dizem que ‘não são prisioneiros’

G7 anuncia novas sanções contra a Rússia ​

Prefeito de cidade do Leste da Ucrânia é atingido por disparo​

Cerca de 600 soldados norte-americanos já foram enviados à Polônia e aos países bálticos para exercícios militares e devem permanecer na região em esquema de rodízio até o fim do ano. “Estamos aqui para tranquilizar os nossos aliados bálticos e mostrar que somos capazes de proteger o seu espaço aéreo caso seja necessário”, disse o comandante da Força Aérea Real, Simon Hulme, a repórteres em Siauliai, em frente a um dos jatos Typhoon.

O aeroporto de Siauliai, uma importante base militar da era soviética, não tem uma infraestrutura moderna, de modo que o esquadrão britânico será alojado em galpões temporários construídos na pista. Contêineres de metal servirão de sede para a missão.

(Com agência Reuters)

Entenda a atual situação dos conflitos nas cidades ao leste da Ucrânia:

Continua após a publicidade
Publicidade