Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Crise migratória e mudanças climáticas marcam visita do papa à Casa Branca

O presidente americano Barack Obama e o papa Francisco mencionaram a crise dos refugiados e o aquecimento global em seus discursos na Casa Branca

Por Da Redação 23 set 2015, 11h15

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, destacou nesta quarta-feira em sua recepção ao papa Francisco na Casa Branca a mensagem de que é preciso praticar a misericórdia com os refugiados e os imigrantes. “O senhor nos lembra que a mensagem mais poderosa é a misericórdia. Isso significa dar as boas-vindas ao estrangeiro com empatia e o coração verdadeiramente aberto”, disse Obama em referência aos refugiados e aos imigrantes, em um breve discurso durante a cerimônia oficial de boas-vindas ao pontífice na Casa Branca.

Obama também fez elogios ao trabalho do pontífice no socorro aos pobres e a seu comprometimento no combate às mudanças climáticas. O presidente americano ainda agradeceu o papa por ajudar a reaproximar os EUA e Cuba e classificou sua mensagem de “misericórdia” como algo que enfatiza a necessidade de acolher refugiados e imigrantes.

Leia também

Papa Francisco chega aos Estados Unidos

Continua após a publicidade

Papa pede aos cubanos que sirvam às pessoas e não às ideias

Em Cuba, papa Francisco é presentado com mais um crucifixo bizarro

Sobre os esforços de Francisco na ação contra o aquecimento global, um tema que divide democratas e republicanos nos Estados Unidos, Obama disse que o “Santo Padre nos lembra que temos a obrigação sagrada de proteger nosso planeta, a dádiva magnífica de Deus para nós”. “Apoiamos seu apelo para que todos os líderes mundiais apoiem as comunidades mais vulneráveis a um clima em alteração e se unam para preservar nosso precioso mundo para as gerações futuras”, completou.

Em seu pronunciamento, feito logo em seguida da fala de Obama, o papa Francisco disse que como filho de imigrantes italianos que foram à Argentina, ele estava muito feliz em estar em um país construído por famílias que também deixaram seus países para viver em outra nação. Em sua fala, o sumo pontífice fez também um apelo aos EUA para que tomem medidas urgentes para impedir a ruína ambiental e combater a pobreza, ampliando o papel da Igreja Católica no combate às mudanças climáticas “Quando se trata de cuidar de nosso lar comum, estamos vivendo um momento crítico na história”, disse Francisco, reforçando o tema abordado em sua encíclica de junho sobre o meio ambiente.

Canonização recebe críticas – Francisco e Obama têm posições coincidentes em questões como as mudanças climáticas e a defesa dos pobres, mas estão em desacordo sobre o aborto e o casamento homossexual. O papa argentino, de 78 anos, encerra o dia com uma missa em uma das mais importantes igrejas católicas romanas nos Estados Unidos, a Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição. Lá, ele vai canonizar o missionário espanhol Frei Junípero Serra, do século XVIII. A canonização de Serra foi criticada por historiadores, indígenas e entidades civis, pois eles afirmam que o missionário ajudou a suprimir culturas nativas americanas na região que hoje é a Califórnia.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês