Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Crimeia: população de Sebastopol prefere Rússia à UE

Para cidadãos, domínio do Kremlin trará mais prosperidade para a região

Por Tatiana Gianini, de Sebastopol 9 mar 2014, 13h53

Sebastopol é a principal cidade da república autônoma da Crimeia. A região, que concentra cerca de 338.000 habitantes, é historicamente fortemente influenciada pela Rússia. Criada pelo império russo no século XVIII, a frota do Mar Negro – uma divisão da Marinha russa – está localizada em um ponto considerado estratégico pelo Kremlin. Diante do conflito que divide a Ucrânia, a população não esconde a preferência pela Rússia à União Europeia. Segundo os cidadãos, o Kremlin pode trazer mais prosperidade para Sebastopol.

Entrada do porto bloqueada com navios russos – Pelo menos quatro navios da frota russa no Mar Negro bloqueiam a entrada do porto da cidade de Sebastopol desde que o governo de Moscou enviou suas tropas para a Crimeia. As embarcações estão ali desde que se posicionaram durante a madrugada do dia 27 de fevereiro. O objetivo é evitar a entrada de qualquer navio estrangeiro no local, como forças da Otan, dos Estados Unidos e da União Europeia. Do porto, os moradores e turistas tiram fotos com a cena dos navios russos ao fundo.

Praça de Sebastopol – A Praça Nakhimov é o centro da cidade de Sebastopol, maior cidade da República Autônoma da Crimeia com 338 000 habitantes. Moscou investiu milhões de dólares na infraestrutura da cidade, hoje a mais rica da região. A maioria da população local tem origem russa e está acostumada com a presença de russos na região, por causa da frota de Moscou. Como uma possível adesão à Rússia é vista com bons olhos, o clima é bastante tranquilo. As pessoas seguem as suas vidas normalmente. No fim da tarde de sábado, 5 000 pessoas se reuniram na praça para assistir a um show de músicas tradicionais do período soviético. Acredita-se que o evento foi financiado pelo Kremlin, porque os artistas que se apresentaram eram famosos. A população adorou relembrar os clássicos da antiga URSS. Todos cantavam junto e erguiam bandeiras da Rússia. Claramente, essa foi uma forma de Putin mostrar à população local a sua consideração pelo suporte dos moradores locais.

Navios russos – A marinha russa tem uma de suas principais bases em Sebastopol. O porto no território da Crimeia dá à Rússia acesso marítimo aos países membros da Otan, como a Turquia. Além disso, através do Estreito de Bósforo os navios de guerra russos chegariam rapidamente às águas do Mar Mediterrâneo. A frota inclui outros navios de guerra como esses das imagens.

Depoimento de morador – “Sebastopol e toda a Crimeia têm uma história muito diferente do resto da Ucrânia. Nossa região se envolveu em várias guerras, como a Guerra da Crimeia e a II Guerra Mundial, e temos monumentos em homenagem a essa nossa história em vários lugares da cidade. A Ucrânia quer nos impor a sua cultura, e não aceitar a nossa, ao contrário de Moscou”, diz Valery Bespalko.

Depoimento de morador – “Estamos muito mais próximos da Rússia em termos econômicos e geográficos. Uma adesão à Moscou trará mais investimentos e progresso para a região”, diz o marinheiro Alexey Shapovalov, natural de Sebastopol.

A Casa de Moscou é uma espécie de “embaixada não-oficial” da Rússia na Crimeia

Continua após a publicidade

Publicidade