Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Criança resgatada nos EUA é filha de sequestrador

Três mulheres que estavam desaparecidas há uma década foram encontradas

A criança de 6 anos resgatada de uma casa na cidade de Cleveland, onde três mulheres desaparecidas há uma década foram encontradas na segunda-feira, é filha de um dos sequestradores. A polícia confirmou que a menina é filha de Amanda Berry, que conseguiu fugir, com a ajuda de um vizinho. Após a fuga, descobriu-se que outras duas mulheres também haviam sido feitas reféns durante anos, Gina DeJesus e Michele Knight.

Três irmãos foram detidos por envolvimento no sequestro das três mulheres. O chefe da polícia de Cleveland, Michael McGrath, disse em entrevista coletiva que Ariel Castro, de 52 anos, e seus dois irmãos, Pedro Castro, 54 anos, e Oneil Castro, 50 anos, estão sob custódia.

O pesadelo das mulheres terminou quando Amanda Berry – sequestrada há dez anos, quando tinha apenas 16 anos de idade – colocou os braços em um buraco na porta principal e pediu ajuda. Um vizinho viu Amanda Berry gritando e tentando sair da casa. O vizinho contou para a rede de televisão ABC que a ajudou a fugir da casa. “Escutei gritos e vi esta garota chutando a porta e gritando”, relatou Charles Ramsey.

“Eu perguntei: ‘Posso ajudar? O que está acontecendo?’ E ela disse: ‘Eu fui sequestrada. Me ajude a sair, estou aqui há muito tempo'”. Com a ajuda de outros vizinhos, Ramsey arrombou a porta e ajudou Berry a sair. Segundo ele, a jovem carregava uma criança de colo. Pouco depois, a polícia entrou no local e resgatou as outras duas desaparecidas.

Ligação – Uma vez livre, Amanda correu até uma casa vizinha para telefonar para a polícia. O áudio do telefonema foi divulgado nesta terça-feira. “Me ajude. Eu sou Amanda Berry, fui sequestrada e estive desaparecida por dez anos. Agora eu estou aqui e estou livre.”

As três mulheres foram levadas a um hospital e estão em boa condição de saúde. O FBI já se pronunciou sobre o caso e disse que os três homens pagarão pelo crime. “Essas três jovens mulheres nos deram a maior definição de sobrevivência e perseverança. O processo de cura pode agora começar”, disse o agente especial Stephen Anthony. “Devido à coragem de Amanda, estas mulheres estão vivas hoje”, acrescentou Michael McGrath.

(Com agência France-Presse)