Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Covid-19: Vice-presidente dos EUA pode encerrar força-tarefa em junho

Embora os surtos no país estejam desacelerando, os EUA ainda registram mais de 20.000 novos casos por dia há mais de um mês

Por Da Redação 5 Maio 2020, 19h38

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, disse nesta terça-feira, 5, que a força-tarefa montada pelo governo federal para conter o avanço da Covid-19 pode ser dissolvida em um mês. Pence, que foi encarregado em fevereiro pelo presidente, Donald Trump, para coordenar a equipe, afirma que o país já provou um “tremendo progresso” contra os surtos. No epicentro mundial da pandemia, os americanos reportam mais de 20.000 novos casos por dia há mais de um mês.

“Estamos começando a olhar para o início de junho como uma época em que poderíamos começar a voltar a ter nossos órgãos [federais] começando a gerenciar nossa resposta nacional de uma maneira mais tradicional”, disse Pence.

A força-tarefa americana liderada pelo vice-presidente é composta por autoridades como o secretário da Saúde, Alex Azar, e especialistas da área da saúde pública, dentre eles o mais conhecido é Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas.

Criada com o objetivo de “coordenar e supervisionar os esforços da administração para monitorar, impedir, conter e mitigar a disseminação [da Covid-19]”, como consta no site do Departamento de Estado americano, a força-tarefa não tem se reunido mais diariamente há semanas, reportou o jornal The Washington Post. O governo americano, porém, ainda atualiza a situação dos surtos no país diariamente durante coletiva de imprensa.

Continua após a publicidade

Pence ainda afirmou nesta terça-feira que “à medida que continuemos praticando o distanciamento social e os estados se engajem em planos de reabertura seguros e responsáveis, eu realmente acredito que poderemos estar em um lugar muito diferente até o final de maio e o início de junho”.

Certo de que os americanos “provaram um tremendo progresso” contra a Covid-19, o vice-presidente justifica a sua previsão para até início de junho a retomada das atividades não essenciais, com base nas “linhas de tendência” – as estatísticas da evolução da epidemia no país.

O jornal americano The New York Times calcula que, embora os surtos no país estejam desacelerando desde sexta 1, quando foram anunciados mais de 30.000 novos enfermos, os Estados Unidos reportam mais de 20.000 novos casos por dia há mais de um mês.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizados na manhã desta terça-feira, os Estados Unidos contam com 1.154.985 casos e 61.906 mortes. Epicentro mundial da pandemia, o país responde por 32% dos enfermos e por 25% dos mortos de todo o mundo.

A Universidade Johns Hopkins estima que o país tenha cerca de 1,2 milhão de casos confirmados. A Espanha, que está em segundo lugar, não chega nem a 220.000 casos.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)