Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Covid-19: Sob medidas de restrição de movimento, Europa tem queda em casos

Média de casos no continente caiu de quase 300.000 contaminações por dia para 200.000 em cerca de duas semanas em novembro

Por Da Redação Atualizado em 25 mar 2021, 22h34 - Publicado em 7 dez 2020, 17h51

Após um recente aumento de casos da Covid-19 em diversos países, a Europa passou a apresentar, em geral, uma queda no número de infecções registradas desde novembro, depois de diversos governos nacionais implementarem medidas de restrição de movimento.

Segundo reportagem do portal de notícias americano Axios publicada no domingo 6, com base em estimativas do site de publicação científica Our World In Data, a média semanal de casos no continente europeu caiu em quase um terço durante o período.

Na primeira semana de novembro, de acordo com o Axios, a Europa registrava quase 300.000 novas contaminações por dia. A média europeia caiu em menos de um mês para 195.500 casos diários.

De acordo com dados do New York Times, o Reino Unido, a França e a Itália estão entre os países europeus que mantém em queda o número de novos casos de Covid-19 até esta segunda-feira, 7.

Reino Unido

Em 31 de outubro, quando, em média, mais de 20.000 britânicos contraíam a Covid-19 por dia, o primeiro-ministro, Boris Johnson, anunciou que o país entraria em uma quarentena a partir de 5 de novembro. O lockdown eventualmente foi aprovado pelo Parlamento, e permaneceu em vigor até a quarta-feira 2.

Todos os comércios não essenciais foram fechados, assim como pubs e restaurantes, exceto para a entrega de refeições. Escolas e universidades, por sua vez, continuaram abertas.

Além disso, os mais de 55 milhões de habitantes da Inglaterra, que é apenas um dos quatro países que compõem o Reino Unido, foram proibidos de sair de casa, exceto para questões essenciais como trabalho, exercícios, compras de itens essenciais, remédios ou cuidar dos vulneráveis.

Continua após a publicidade

Segundo o Times, para a primeira semana de dezembro, a média de infecções no Reino Unido foi de apenas 15.000 novos casos por dia.

França

Assim como Johnson, o presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou no final de outubro que a França entraria mais uma vez em quarentena. Naquele momento, de acordo com o Times, quase 50.000 franceses se infectavam com a Covid-19 por dia.

A quarentena fechou praticamente todos os serviços não essenciais, de academias a bares e museus. Reuniões em ambientes privados ou públicos também foram proibidas com o início do novo lockdown. Além disso, a quarentena implicou na obrigatoriedade do uso de máscaras faciais em todos os espaços públicos.

Em anúncio no final de novembro, Macron afirmou que o confinamento se encerrará, se tudo der certo, em 15 de dezembro. Mas o governo francês pretende manter certas restrições de movimento, como o fechamento de restaurantes, até, pelo menos, o final de janeiro.

Durante a primeira semana de dezembro, a França registrou em média apenas 10.000 novos casos por dia, segundo a estimativa do Times.

Itália

O governo da Itália decretou medidas de restrição de movimento em 5 de novembro, após a média de contaminações do país ultrapassar a marca dos 30.000 casos diários.

Em dimensão nacional, instituiu-se um toque de recolher entre 22h e 5h, válido para todos os dias. Além disso, proibiu-se a entrada e saída de pessoas em quatro regiões: Lombardia, Piemonte, Calabria e Vale de Aosta. A circulação dentro de cada uma dessas regiões também foi limitada.

Essas medidas de restrição de movimento permaneceram em vigor até o início de dezembro, quando, segundo o Times, a média de infecções na Itália chegava à casa das 20.000 contaminações por dia.

Continua após a publicidade
Publicidade