Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Covid-19: Ex-advogado de Trump envolvido no ‘Russiagate’ sairá da prisão

Michael Cohen, que cumpre pena de três anos por fraudes fiscais e por mentir ao Congresso, progredirá para a prisão domiciliar como prevenção à Covid-19

Por Da Redação
Atualizado em 17 abr 2020, 16h09 - Publicado em 17 abr 2020, 15h54

Michael Cohen, ex-advogado do presidente americano, Donald Trump, está entre os seis detentos de uma prisão federal do estado de Nova York que foram liberados para prisão domiciliar para se prevenir da pandemia da Covid-19, que já atingiu mais de 2,2 milhões de pessoas no mundo. Cohen cumpre pena de três anos por seu envolvimento em um esquema ilegal durante a campanha eleitoral de Trump em 2016, em especial na relação entre a campanha do republicano e o governo da Rússia e no silenciamento da atriz pornô Stephanie Clifford, conhecida como Stormy Daniels.

Antes de progredir para a prisão domiciliar, Cohen passará por mais duas semanas de quarentena no complexo penitenciário federal na Vila de Otisville, onde cumpre sua pena desde maio de 2019, disse seu advogado, Roger Adler, no final da quinta-feira 16.

A decisão de liberar Cohen, que tem 53 anos, do regime fechado, foi decidida pela Secretaria Federal de Prisões, um órgão do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Segundo a Secretaria, mais de 470 condenados, dentre eles 14 em Otisville, e de 275 funcionários penitenciários testaram positivo para a Covid-19.

O jornal The New York Times reportou que a Secretaria não revelou se Cohen ou qualquer um dos outros detentos a serem liberados cumprirão o resto de suas penas em prisão domiciliar ou não após o fim da pandemia.

Cohen foi condenado no final de 2018 por ter mentido Congresso e por violação de leis de financiamento eleitoral. Os dois crimes foram cometidos quando ele assessorava a campanha eleitoral de Trump em 2016. Ele também foi sentenciado por crimes de evasão fiscal que não tinham relação com o republicano. 

Continua após a publicidade

Russiagate

Em novembro de 2018, Cohen admitiu ter feito declarações falsas sobre um projeto de construção de um arranha-céu da marca Trump em Moscou, que acabou não se materializando.

O advogado mentiu aos comitês de Inteligência do Senado e da Câmara dos Deputados para criar a impressão falsa de que o empreendimento imobiliário moscovita havia terminado quando a temporada de primárias partidárias para as eleições presidenciais de 2016 começou, em 1º de fevereiro.

Segundo a confissão de Cohen, as negociações em Moscou continuaram até junho de 2016, quando as primárias republicanas já estavam prestes a se encerrar. O depoimento do ex-advogado de Trump reforçou o escândalo do relacionamento entre a campanha eleitoral do republicano e a Rússia, conhecido como Russiagate.

O episódio se concluiu com o relatório de 2018 do conselheiro do FBI Robert Mueller que não encontrou conspiração entre a campanha do presidente e o governo russo, mas não exonerou o republicano em relação às acusações de obstrução de Justiça.

Continua após a publicidade

Stormy Daniels

Além do Russiagate, o ex-advogado de Trump admitiu culpa em oito crimes de evasão de impostos, falsas declarações a um banco e violação de leis de financiamento de campanhas eleitorais.

No caso de violação de leis de financiamento eleitoral, Cohen intermediou a compra do silêncio da atriz pornô Stormy Daniels, com quem Trump supostamente havia mantido relações sexuais, mesmo já sendo casado com a primeira-dama americana, Melania Trump.

Cohen pagou 130.000 dólares a Daniels e, em um outro caso semelhante, intermediou o pagamento do silêncio da modelo da Playboy Karen McDougal.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.