Clique e assine a partir de 9,90/mês

EUA querem reabertura até junho mesmo com aumento de mortes

Governo americano estima 200.000 novos casos e 3.000 mortes por dia no final de maio; Casa Branca previa queda na mortalidade em meados de abril

Por Da Redação - Atualizado em 4 Maio 2020, 15h50 - Publicado em 4 Maio 2020, 15h43

O governo dos Estados Unidos planeja reabrir a economia do país até o dia 1º de junho, mesmo com as projeções oficiais de aumento no número de casos e mortes por coronavírus nas próximas semanas. Segundo documento dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), agência federal de saúde, o total de mortes vai praticamente dobrar, da média diária atual de 1.750 para 3.000 óbitos por dia, no final de maio.

As estimativas do CDC apontam ainda que quantidade de novos casos diários deve aumentar para cerca de 200.000 por dia no final do mês, muito acima dos atuais 25.000 novos registros diários. O jornal americano The New York Times reporta que as projeções confirmam que uma reabertura da economia em meados de maio, como vem sendo ventilado pelo governo americano, poderia fazer com que o país voltasse ao patamar de março, quando algumas partes do país passaram por sobrecargas significativas de seus sistemas hospitalares. 

ASSINE VEJA

Moro fala a VEJA: ‘Não sou mentiroso’ Em entrevista exclusiva, ex-ministro diz que apresentará provas no STF das acusações contra Bolsonaro. E mais: a pandemia nas favelas e o médico brasileiro na linha de frente contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine

O coronavírus já causou 67.900 óbitos até esta segunda-feira, 4, mais do que o total de americanos mortos na Guerra do Vietnã, e há 1,16 milhão de casos confirmados. Desde o dia 2 de abril, o número diário de falecimentos é maior que 1.000, e o de novos casos gira em torno de 25.000.

O modelo adotado há um mês pela Casa Branca previa que a taxa de mortalidade começaria a cair substancialmente em meados de abril, mas a tendência ainda não se firmou. Os números de casos e mortes permanecem no mesmo patamar, com uma queda muito leve, segundo dados do Times.

Continua após a publicidade

No domingo 3, o presidente americano, Donald Trump, disse que as mortes nos Estados Unidos podem chegar a 100.000, o dobro do que ele havia previsto duas semanas atrás. Mesmo assim, sua estimativa do líder ainda é menor do que a apresentada pelos CDC. Da Casa Branca, ele ainda insiste na necessidade de os negócios voltarem a funcionar.

“Em algum momento, precisamos abrir nosso país”, disse Trump. “E as pessoas estarão seguras. Mas não temos escolha. Não podemos ficar fechados como um país.”

Alguns estados onde o número de casos da Covid-19 continua aumentando já iniciaram o processo de reabertura econômica, como Iowa, Minnesota, Tennessee e Texas. Outros, como Indiana, Kansas e Nebraska começaram a reabertura nesta segunda-feira, apesar da curva ainda ascendente de contaminação.

Cerca da metade de todos os estados americanos já começou a reabrir suas economias de maneira significativa, retirando a orientação de “ficar em casa”. E mesmo que cidades como Nova York, epicentro da pandemia nos Estados Unidos, tenha mostrado progresso, outros centros urbanos, como Los Angeles, na Califórnia, e cidades rurais, como Marion, em Ohio, ainda relatam crescimento consistente nos casos.

Publicidade