Clique e assine com 88% de desconto

Corpos de vítimas em queda de avião no Irã chegam à Ucrânia

Dos 167 mortos no incidente, nove tripulantes e dois tripulantes eram ucranianos; Caixas-pretas também devem entregues pelos iranianos

Por EFE - Atualizado em 19 jan 2020, 10h56 - Publicado em 19 jan 2020, 10h52

Os restos mortais dos 11 ucranianos que morreram na queda do Boeing 737 da Ukraine International Airlines, abatido pelo Irã no último dia 8, chegaram neste domingo a Kiev, capital ucraniana.

Os caixões dos nove integrantes da tripulação e dois passageiros foram repatriados e recebidos em uma cerimônia que participaram o presidente do país, Volodymyr Zelenski, o primeiro-ministro, Alexei Goncharuk, e outras autoridades.

Imediatamente após o incidente do voo PS752, que ia de Teerã a Kiev, e até 72 horas depois, as autoridades do Irã negaram que se tratava de um abatimento causada por suas forças militares. Entretanto, no dia 11, as Forças Armadas admitiram que derrubaram o avião por engano, confundindo com um míssil.

A bordo do Boeing da Ukraine International Airlines, além dos nove tripulantes ucranianos, estavam 167 passageiros: 82 iranianos, 63 canadenses, dez suecos, quatro afegãos, três alemães, três britânicos e dois ucranianos, todos mortos na derrubada. A Ucrânia exigiu a entregada das caixas negras do avião, o que será atendido em breve, anunciou no sábado a autoridade iraniana de aviação civil.

Publicidade

A queda coincidiu com um aumento das tensões entre Irã e Estados Unidos após o assassinato do general iraniano Qasem Soleimani em um ataque autorizado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, e o posterior ataque do Irã a uma base no Iraque com tropas americanas.

 

Publicidade