Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Corpos de mais de 100 soldados russos são encontrados próximos a Kiev

Segundo Ucrânia, Moscou não respondeu proposta para troca de corpos e, em Moscou, Putin visitou hospital militar pela primeira vez desde o início da guerra

Por Matheus Deccache Atualizado em 25 Maio 2022, 16h59 - Publicado em 25 Maio 2022, 16h24

Os corpos de pelo menos 137 soldados russos que morreram na tentativa de capturar Kiev, capital da Ucrânia, estão sendo enterrados ao redor das aldeias ocupadas durante a ofensiva. 

“Os corpos que encontramos mostram que o Exército russo trata seu próprio povo como lixo, como bucha de canhão. Eles não precisam de seus soldados. Eles jogam seus corpos aqui e recuam”, disse o coronel ucraniano Volodymyr Liamzin à rede BBC.

+ Putin oferece cidadania russa a ucranianos em regiões dominadas por Moscou

Os restos mortais dos combatentes russos encontrados nos arredores de Kiev estão sendo colocados em sacos brancos e todos os itens achados são utilizados para tentativa de identificação, como celulares e fotos. 

De acordo com Liamzin, foi feita uma tentativa de troca com o governo russo, que emitiu uma lista dos soldados mortos. No entanto, não há resposta do lado da Rússia para coletar os corpos de seus soldados. 

O número de baixas de ambos os lados da guerra ainda é incerto e, de acordo com famílias ucranianas, o próprio governo ucraniano também não tem feito muitos esforços para recuperar os restos mortais de seus combatentes. 

A grande quantidade de mortos do lado russo nos arredores de Kiev pode ter ligação com o suposto padrão das tropas enviadas para o local, que seriam compostas, em sua maioria, por jovens e inexperientes. 

Continua após a publicidade

Segundo moradores da região, muitos restos mortais foram enterrados pelos próprios cidadãos por razões sanitárias enquanto aguardavam a chegada da equipe do coronel Liamzin para a retirada.

Já em território russo, o presidente Vladimir Putin visitou pela primeira vez desde o início da guerra um hospital militar em Moscou nesta quarta-feira, 25, e aproveitou para anunciar uma série de novas medidas de bem estar social e benefícios militares. O esforço é uma tentativa de mostrar às suas tropas de que ele está ciente dos desafios enfrentados no quarto mês de conflito. 

+ Moscou desbloqueará portos ucranianos se Ocidente flexibilizar sanções

----
Presidente russo, Vladimir Putin, cumprimenta militares durante visita a hospital em Moscou. 25/05/2022 Mikhail Metzel/Sputnik/AFP

Em vídeo divulgado pelo Kremlin, Putin caminha pelas alas do hospital ao lado de seu ministro da Defesa, Sergei Shoigu, cumprimentando pacientes feridos. Mais tarde, a emissora estatal mostrou o presidente reunido com funcionários do alto escalão na sede do governo. Durante a reunião, ele anunciou o aumento de pagamentos dos militares alocados na Ucrânia e que pretende dobrar o subsídio de assistência infantil dado às mulheres nas Forças Armadas. 

“Eles são todos heróis. Cada um deles está expondo sua vida a um perigo mortal, fazendo isso conscientemente, e eles devem ser tratados como tal, como heróis”, disse o presidente russo. 

Putin prometeu ainda medidas mais amplas de bem estar social, mesmo quando repetiu sua insistência de que a economia russa não estava sofrendo tanto quanto alguns previam no início da guerra. Segundo ele, as pensões para os idosos que não trabalham, juntamente com o salário mínimo, serão aumentadas em 10% no próximo mês. 

O Ministério da Defesa da Rússia não divulga o número de baixas na guerra desde 25 de março, há dois meses. Na ocasião, 1.351 militares haviam sido mortos na Ucrânia.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)