Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Corpo de general morto em ataque dos Estados Unidos chega ao Irã

Milhares de pessoas acompanham o cortejo na cidade de Ahvaz; líder militar deve ser enterrado na próxima terça-feira em sua cidade natal, Kerman

Por da Redação - Atualizado em 7 jan 2020, 09h53 - Publicado em 5 jan 2020, 08h42

O corpo do general Qasem Soleimani, morto na quinta-feira após um ataque aéreo dos Estados Unidos, chegou neste domingo, 5, ao Irã após passar pelo Iraque, informou a agência de notícias iraniana IRIB. O cortejo, transmitido ao vivo pela TV estatal do país, começou pela cidade de Ahvaz por volta das 8h (1h30 no horário de Brasília) e deve chegar à cidade sagrada de Mashhad.

No sábado, o corpo passou pela capital, Bagdá, e pelas cidades de Karbala e Najaf, consideradas sagradas pelos muçulmanos xiitas. Soleimani foi morto na capital iraquiana, quando o carro em que estava sofreu um ataque feito por drones americanos e autorizado pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

Ao todo, o funeral do chefe de uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã terá duração de 4 dias. Na segunda-feira, o cortejo seguirá para Teerã, capital do Irã, e na terça-feira, chegará a Kerman, cidade natal do general, onde será realizado o sepultamento. 

O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, visitou a família de Qassem Soleiman. Aos familiares do general, ele disse que Soleiman “alcançou seu sonho” ao tornar-se um mártir ao lutar pela causa de Deus.

Publicidade

 Novo chefe militar

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, nomeou um novo comandante da Guarda Revolucionária após a morte de Qassem Soleimani. O chefe da unidade especial agora é o major-general Esmail Qaani, vice de Soleimani.

“Após o martírio do glorioso general Qassem Soleimani, nomeio o brigadeiro-general Esmail Qaani comandante da força Al-Qods”, declarou Khamenei em comunicado publicado em seu site oficial. “Qaani serviu por anos ao lado de Soleimani. Tem sido um dos comandantes mais importantes da Defesa Sagrada e serviu com o comandante mártir por muitos anos”, acrescentou.

Publicidade

A unidade militar de elite – considerada uma organização terrorista pelos EUIA – administra as operações do Irã no exterior. Após o ataque, o Irã prometeu vingança aos EUA.

Publicidade