Clique e assine a partir de 9,90/mês

Corpo de francês decapitado por jihadistas na Argélia é encontrado

Segundo Ministério da Defesa, informações de terrorista que foi preso levaram à localização do corpo de Hervé Gourdel, sequestrado e morto em setembro do ano passado

Por Da Redação - 15 Jan 2015, 21h59

O corpo de Hervé Gourdel, turista francês decapitado por terroristas na Argélia, foi encontrado perto do local onde ele foi sequestrado em setembro do ano passado. O corpo sem cabeça estava na região de Akbil, 160 quilômetros a sudeste da capital Argel. Segundo o Ministério da Defesa, informações de um terrorista preso levaram as forças especiais a localizarem o corpo do cidadão francês.

Gourdel, guia de montanha de 55 anos originário do sul da França, foi levado por integrantes do grupo Jund al-Khilafa (“soldados do califado”), que se separou da Al Qaeda no Magreb Islâmico e se declara leal ao Estado Islâmico.

Leia mais:

Grupo ligado ao EI decapita refém francês na Argélia

Continua após a publicidade

Os terroristas exigiram que a França parasse de atacar o EI no Iraque, ultimato rejeitado pelo governo francês, afirmando que não cederia a qualquer chantagem ou pressão dos extremistas. O grupo divulgou um vídeo na internet com a decapitação do turista.

Desde a brutal execução de Gourdel, o Exército mobilizou 3.000 soldados no combate ao Jund al-Khilafa. Os militares vasculharam as montanhas a leste de Argel procurando os responsáveis pela selvageria. Em dezembro, Abdelmalek Gouri, chefe do grupo que reivindicou a responsabilidade pelo assassinato, foi morto em uma emboscada do Exército.

Na última quarta-feira, as buscas pelo corpo foram relançadas nas localidades vizinhas de Abu Yussef e Akbil. A operação foi conduzida por uma unidade de elite especializada na luta antiterrorista, com o apoio de uma brigada de cães farejadores.

A Argélia continua a ser uma importante aliada dos Estados Unidos na luta contra terroristas na região do Sahel, onde a Al Qaeda no Magreb Islâmico e outros grupos jihadistas estão ativos.

Continua após a publicidade

(Com agências France-Presse e Reuters)

Publicidade