Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coronavírus: metade dos estudantes do mundo estão sem aulas, diz Unesco

Ao menos 102 países fecharam totalmente suas escolas e universidades, enquanto outros 11 decretaram fechamento parcial

Por Da Redação 18 mar 2020, 11h30

Metade dos estudantes do mundo, ou seja, mais de 850 milhões de crianças, adolescentes e jovens, estão sem aulas devido à pandemia de coronavírus, anunciou nesta quarta-feira, 18, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Com o fechamento total de escolas e universidades em 102 países e o fechamento parcial em outros 11 em consequência da pandemia de Covid-19, o número de estudantes sem aulas dobrou em quatro dias decretaram e deve continuar aumentando, destacou a Unesco em um comunicado.

“Isto impõe aos países desafios imensos para poder proporcionar um aprendizado ininterrupto a todas as crianças e jovens de maneira equitativa”, afirmou a diretora geral da Unesco, Audrey Azoulay.

Como resposta imediata ao fechamento das escolas, a Unesco criou um grupo de trabalho para proporcionar assessoria e assistência técnica aos governos, anunciou a instituição, que tem sede em Paris.

  • A Unesco também destacou que está organizando reuniões virtuais periódicas com os ministros da Educação de todo o mundo para compartilhar experiências e avaliar as necessidades prioritárias.

    O número de casos de infecções pelo novo coronavírus em todo o mundo ultrapassou os 200.000 nesta quarta, segundo a Universidade Johns Hopkins, que mantém uma contagem em tempo real dos novos pacientes. Ao todo, 8.007 pessoas morreram após contrair a Covid-19.

    No Brasil, diversos estados decretam suspensão das aulas, entre eles São Paulo, Bahia, Distrito Federal, Paraná, Para, Ceará, Goiás, Espírito Santo e Minas Gerais.

    Em São Paulo, o fechamento das escolas acontece de forma parcial desde a última sexta-feira 13, enquanto que no Paraná a medida só está válida para escolas particulares. A Prefeitura do Rio de Janeiro também suspendeu as aulas nas escolas municipais.

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade