Clique e assine a partir de 9,90/mês

Coronavírus: Itamaraty contrata avião para resgatar brasileiros em Quito

Entre os nacionais surpreendidos pelas medidas de restrição do Equador está equipe de natação paralímpica

Por Denise Chrispim Marin - 30 mar 2020, 16h28

O Ministério das Relações Exteriores contratou voo da Gol para o resgate de 160 brasileiros retidos no Equador, o país que adotou medidas restritivas de circulação de pessoas e fechou suas fronteiras para o combate ao coronavírus. O avião decolou nesta segunda-feira, 30, do Aeroporto Internacional de Guarulhos, e deverá partir de Quito às 18h (20h, em Brasília), informou o Itamaraty.

A operação envolveu negociações da Embaixada do Brasil em Quito com o governo equatoriano e contatos com os brasileiros retidos. Entre eles estava uma equipe paralímpica de natação que fazia treinamento em altitude na capital do Equador para a qualificação para a Olimpíada de Tóquio – que foi adiada para 2021. Também está no grupo cerca de 25 brasileiros que faziam turismo nas ilhas Galápagos.

Segundo o Itamaraty, os brasileiros se concentraram no Parque La Carolina, em Quito, e foram acomodados em cinco ônibus fretados pela embaixada. Os veículos levarão os 160 brasileiros até o aeroporto para o embarque. O custo dessa operação para o ministério não foi informado.

O Equador é o terceiro país da América Latina mais atingido pela epidemia do coronavírus, depois do Brasil e do Chile. Há 1.924 casos de contaminação confirmados, segundo levantamento da Johns Hopkins University, dos Estados Unidos. Já foram registradas pelo menos 57 mortes no país, que está na fase 3 de contágio comunitário, de “transmissão sustentável e ampla”, segundo o jornal El Tiempo.

Continua após a publicidade

 

Publicidade