Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Coronavírus: Ex-diretor de campanha de Trump vai para prisão domiciliar

Paul Manafort tem 71 anos e se enquadra no grupo de risco, mas prisão onde cumpria sentença não tem surto de Covid-19

Por Da Redação
Atualizado em 13 Maio 2020, 13h56 - Publicado em 13 Maio 2020, 13h34

Paul Manafort, ex-diretor da campanha eleitoral do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e acusado de mentir no inquérito sobre a interferência russa nas eleições de 2016, foi solto de uma prisão federal nesta quarta-feira, 13, e poderá cumprir o resto de sua sentença em prisão domiciliar por conta da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

O pedido foi feito pela defesa, que alegou preocupações com o estado de saúde de Manafort diante da pandemia. O ex-diretor de campanha tem 71 anos e foi internado em dezembro de 2019 após sofrer problemas cardíacos dentro da prisão FCI Lorreto, no estado da Pensilvânia.

A soltura de Manafort, porém, é a exceção à regra. O secretário de Justiça, William Barr, ordenou entre março e abril que o órgão federal responsável pelo setor penitenciário autorize presos que estejam no grupo de risco a cumprirem suas sentenças em casa. A medida se aplica somente a presídios que tenham surto do vírus, o que não é o caso da penitenciária FCI Lorreto.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição ()
Clique e Assine

Atualmente, 2.818 presidiários e 262 agentes penitenciários nos Estados Unidos foram confirmados positivos para o vírus. O país é o mais atingido pela pandemia. Foram diagnosticadoss  1.371.395 casos de contaminação, entre os quais 82.461 pessoas morreram. No mundo, a Covid-19 infectou mais de quatro milhões, e o total de óbitos se aproxima dos 300.00. 

Continua após a publicidade

Manafort foi uma das primeiras pessoas a serem condenadas durante o inquérito liderado por Robert Mueller, procurador especial, que examinava uma possível coordenação entre a campanha eleitoral de Trump com o governo russo para favorecer o republicano.

O ex-diretor foi considerado culpado por um juri de uma corte em federal em Virginia em 2018, mas teve sua pena dobrada em março de 2019 por um juiz federal após ter se declarado culpado. Minutos após a decisão sobre o aumento da sentença, procuradores do estados de Nova York o acusaram de fraude financeira, o que feria leis estaduais e afastaria a possibilidade de Manafort receber indulto de Trump.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.