Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coronavírus: Democratas barram pacote econômico de US$ 1,8 tri nos EUA

Republicanos demandam ação rápida para encorajar mercado financeiro, mas oposição pede mais dinheiro para ajudar trabalhadores, governos locais e hospitais

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h26 - Publicado em 23 mar 2020, 15h41

O pacote de Donald Trump para evitar o colapso econômico dos Estados Unidos em função do  coronavírus, no valor de 1,8 trilhão de dólares, foi barrado no Senado no domingo 22, após três dias de negociações entre o governo e a oposição. Os democratas disseram que o plano não protegia adequadamente os trabalhadores nem impunha suficientes restrições às empresas resgatadas pelo Estado. A situação republicana pediram por rapidez na aprovação das medidas para encorajar os mercados financeiros a uma retomada dos negócios.

Depois que o Senado falhou em conseguiu os 60 votos necessários para avançar o trâmite, com 47 a favor e 47 contra, o líder da maioria republicana, senador Mitch McConnell, disse que a “obstrução não alcança nada”. Ele ainda alfinetou: “Espero que virem adultos e entendam a gravidade da situação”.

Republicanos e democratas haviam concordado que um plano é vital para controlar o golpe provocado pela epidemia do coronavírus sobre a economia. Já havia sido divulgada, entre as medidas do pacote, o pagamento de duas oarcelas de 1.200 dólares a milhões de americanos, além da ajuda aos estados e empréstimos bilionários a empresas.

No domingo, os democratas denunciaram que o pacote favorecia os grandes negócios em detrimento dos trabalhadores e não impedia que as empresas resgatadas não se enriquecessem com a ajuda do governo. Segundo o jornal americano The New York Times, o Sistema de Reserva Federal (Fed) teria acesso a 425 bilhões de dólares para empréstimos a empresas em crise, e o Congresso não teria voz sobre quais negócios poderiam receber assistência.

O líder democrata do Senado, Chuck Schumer, classificou o plano republicano como “um fundo de resgate corporativo gigantesco e sem prestação de contas”.

Continua após a publicidade

Democratas também disseram que a medida oferecia um auxílio-desemprego insuficiente, por apenas três meses, e era insatisfatório o financiamento para governos estaduais e locais prover assistência alimentar e conceder alívio de empréstimos estudantis.

  • A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, disse no domingo que seus colegas democratas começarão a elaborar um projeto de lei alternativo. Depois, os republicanos começaram a redigir e divulgar seu próprio texto.

    O fracasso em avançar na tramitação do pacote sacudiu os mercados financeiros e ameaçou um cronograma apertado do governo do presidente Donald Trump, que pretendia aprová-lo nesta segunda-feira, 23, e promulgá-lo dentro de poucos dias.

    As negociações marcaram o terceiro esforço do Congresso para amenizar o impacto econômico de uma doença que já deixou mais de 33.000 pessoas doentes e ao menos 428 mortos no país, o que levou governadores a ordenar que quase um terço da população nacional fique em casa e a suspender as atividades de muitos negócios.

    (Com Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade