Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Coronavírus: crematório em Madri realiza velórios ‘drive-thru’

Cerimônia consiste em uma bênção de no máximo cinco minutos, com caixões nos porta-malas de carros funerários, e participação de poucos familiares

Por Da Redação
Atualizado em 6 abr 2020, 13h39 - Publicado em 6 abr 2020, 13h25

Um crematório em Madri, na Espanha, organizou um sistema de velórios ‘drive-thru’ para dar conta da enorme procura por serviços funerários e conter a propagação do novo coronavírus. Ao todo, a cidade já registrou 5.136 mortes pela Covid-19, além de 38.723 infecções.

No crematório do cemitério La Almudena, o modelo rápido de cerimônia consiste em uma bênção de no máximo cinco minutos, realizada por um padre que aguarda a chegada dos carros em frente ao prédio que antes era dedicado aos velórios. A cada 15 minutos, um veículo funerário estaciona e abre o porta-malas onde leva o caixão.

Alguns poucos familiares podem assistir à cerimônia, guardando alguma distância, enquanto o padre faz uma oração e asperge água benta no caixão fechado. Logo depois, um grupo de funcionários transporta o ataúde para o crematório, colocando fim ao velório.

Não há discursos, tempo para velar o corpo ou enterros públicos. Este é o cenário em quase toda a Espanha, onde as tradicionais cerimônias que antecediam os enterros ou cremações foram proibidas. Apesar do Ministério da Saúde afirmar não ter encontrado evidências de que os cadáveres podem transmitir o vírus, os familiares também não podem ter nenhum contato com as vítimas da Covid-19 após a morte.

Continua após a publicidade

O mesmo tem acontecido na Itália e em outros países da Europa, assim como nos Estados Unidos. No Brasil, a maior parte dos velórios das vítimas do coronavírus é realizado de forma rápida, com no máximo 10 pessoas e com o caixão fechado. Porém, muitos cemitérios já estão proibindo qualquer tipo de cerimônia.

ASSINE VEJA

Até quando? As previsões dos cientistas para o fim do isolamento A imensa ansiedade para a volta à normalidade possível, os dramas das vítimas brasileiras e a postura equivocada de Bolsonaro diante da crise do coronavírus ()
Clique e Assine

Madri concentra a maior parte dos casos de coronavírus na Espanha. Em todo o país, há 135.032 infectados e 13.055 mortos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.