Clique e assine a partir de 9,90/mês

Coronavírus chegou a todos os países da União Europeia

Presidente do Parlamento Europeu se colocou em quarentena voluntária; Chipre foi a última nação do bloco a registrar casos

Por Da Redação - Atualizado em 10 mar 2020, 10h50 - Publicado em 10 mar 2020, 09h45

O surto do novo coronavírus chegou a todos os 27 países da União Europeia (UE), informou o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças nesta terça-feira, 10, depois que o Chipre registrou os primeiros casos de Covid-19.

Mais de 114.000 casos foram registrados em todo o mundo, além de 4.000 mortes. Depois da China, os países mais atingidos são o Irã e a Itália, com 291 e 463 mortes, respectivamente.

Para conter o surto, o governo italiano estendeu a todo o país as restrições aplicadas à região norte. As medidas baixadas por decreto no fim de semana se tornam válidas a partir desta terça e preveem a proibição da circulação de pessoas, exceto por “razões comprovadas de trabalho” e “sérias necessidades familiares ou de saúde”.

Também nesta terça, o governo do Chipre anunciou os dois primeiros casos de Covid-19 no país. Os pacientes são um homem que viajou ao norte da Itália e uma profissional da saúde que retornou recentemente do Reino Unido.

Continua após a publicidade

O presidente do Parlamento Europeu, o italiano David Sassoli, anunciou sua decisão de trabalhar de casa a partir desta terça “por precaução”, depois de passar o fim de semana na Itália.

“Decidi, apenas como precaução, exercer minha função de presidente, da minha casa, em Bruxelas, de acordo com os 14 dias indicados no protocolo”, afirmou Sassoli em um comunicado.

Embora ainda não tenha detectado nenhum caso por coronavírus, o Parlamento Europeu adotou estritas medidas de prevenção. A sessão plenária desta semana foi reduzida para apenas um dia e se transferiu de Estrasburgo para Bruxelas.

Vários funcionários da Casa também estão em quarentena. Desde domingo, aqueles que se encontram no grupo de risco – como grávidas, pessoas com mais de 60 anos, ou com problemas de saúde – devem trabalhar de casa.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Publicidade