Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Coreias: Japão, China e Rússia manifestam preocupação

Por Da Redação - 23 nov 2010, 06h31

As principais potências vizinhas à península coreana manifestaram extrema preocupação com os desdobramentos dos disparos ordenados por Pyongyang contra uma ilha controlada por Seul, nesta terça-feira. Japão, China e Rússia disseram que é preciso controlar a situação para evitar uma possível escalada militar.

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, alertou seus ministros para que estejam preparados para qualquer cenário. “Ordenei aos ministros que façam preparativos para que possamos reagir de maneira firme, para o caso de qualquer evento inesperado acontecer”, afirmou. “Determinei que façam o melhor para reunir informações.”

O ministério chinês das Relações Exteriores expressou sua preocupação com os disparos. “Esperamos que as partes contribuam mais para a estabilidade na península coreana”, disse Hong Lei, porta-voz do ministério. A chancelaria chinesa destacou que é “imperativo” reativar o processo de negociação do grupo dos seis após a revelação da existência de uma nova usina de enriquecimento de urânio na Coreia do Norte.

A Rússia também advertiu para o risco de confronto militar em grande escala. “É importante que isto não leve a uma escalada na península”, afirmou uma fonte diplomática russa, não identificada, à agência Interfax. As Forças Armadas da Coreia do Sul estão em alerta máximo após os disparos de artilharia norte-coreanos.

Publicidade

(Com agência France-Presse)

Publicidade