Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Coreia do Sul registra primeira morte por coronavírus

Cidade de Daegu, no sudeste do país, vive surto da doença com ao menos 40 casos relacionados a uma seita religiosa

Por Da Redação
Atualizado em 20 fev 2020, 10h27 - Publicado em 20 fev 2020, 10h03

A Coreia do Sul registrou nesta quinta-feira, 20, a primeira morte em decorrência do novo coronavírus, ao mesmo tempo em que uma série de novos casos da doença na cidade de Daegu – a quarta maior cidade sul-coreana, com 2,5 milhões de habitantes – preocupa as autoridades locais.

A primeira vítima do vírus no país foi identificada como um homem de 60 anos, morador da província de Gyeongsang do Norte e que testou positivo para o novo coronavírus depois que morreu na quarta-feira 19 com sintomas de pneumonia, disseram as autoridades. Segundo a agência Yonhap, ele estava hospitalizado havia mais de 20 dias.

Ao todo, foram registrados 53 novos casos da Covid-19 na Coreia do Sul nesta quinta, o que aumenta para 104 o número de contágios desde que a epidemia começou a se propagar pelo país, há cerca de um mês.

Somente da cidade de Daegu, no sudeste do país, 51 novos casos foram reportados nesta quinta. O prefeito instou a população a ficar em casa. E o comando de uma importante base americana na região restringiu o acesso ao local.

Entre todos os casos na cidade, mais de quarenta foram registrados entre frequentadores da Igreja Shincheonji, ou Templo do Tabernáculo do Testemunho. A entidade é considerada uma seita religiosa.

Continua após a publicidade

A origem da disseminação do patógeno entre os membros da seita é uma mulher de 61 anos que frequenta o centro e que, depois de apresentar febre no dia 10 de fevereiro, recusou-se duas vezes a passar no teste Covid-19, dizendo que não tinha viajado para o exterior recentemente. Ela então participou de pelo menos quatro cerimônias religiosas na seita, antes de ser diagnosticada com o novo coronavírus.

Até agora, pelo menos 47 outros membros da seita foram diagnosticados com o coronavírus. As autoridades de Daegu indicaram que 1.001 fiéis de Shincheonji que assistiram às mesmas cerimônias que a mulher estavam em quarentena em suas casas.

Shoppings e cinemas de Daegu estavam fechados nesta quinta e as ruas do centro, geralmente lotadas, eram um deserto.

Continua após a publicidade

O coronavírus surgiu na cidade de Wuhan, região central da China, no ano passado, aparentemente em um mercado de animais silvestres, e até agora já infectou cerca de 75.000 pessoas e matou cerca de 2.100.

A vasta maioria das infecções e das mortes aconteceram na China e, mais especificamente, na província de Hubei, cuja capital é Wuhan, mas a disseminação global parece inevitável.

(Com AFP, EFE e Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.