Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Coreia do Sul e EUA lançam oito mísseis em resposta à Coreia do Norte

Presidentes Yoon Suk-yeol e Joe Biden prometeram adotar linha dura contra Pyongyang após 'séria provocação que prejudica a paz e a estabilidade'

Por Da Redação 6 jun 2022, 11h02

A Coreia do Sul e os Estados Unidos responderam ao lançamento de oito mísseis da Coreia do Norte no domingo, 5, disparando mais oito em águas da península coreana na manhã desta segunda-feira, 6.

Sete foram disparados pela Coreia do Sul e um pelos EUA, de acordo com o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul. O órgão sul-coreano chamou o teste da nação vizinha de “séria provocação que prejudica a paz e a estabilidade não apenas da península coreana, mas também a comunidade internacional”.

Incluindo o lançamento desta segunda-feira, Seul e Washington já responderam a testes de Pyongyang três vezes neste ano, após um hiato desde 2017. De ambos os lados, os lançamentos de mísseis são vistos como uma demonstração de força e não visam alvos específicos e, normalmente, os mísseis são jogados ao mar. 

Os mísseis balísticos de curto alcance da Coreia do Norte, disparados em direção ao mar ao largo da sua costa oriental no domingo, foram provavelmente o seu maior teste único e vieram um dia depois de a Coreia do Sul e os Estados Unidos terem terminado os exercícios militares conjuntos.

A troca de mísseis ocorre no momento em que crescem as preocupações com de um possível teste nuclear da da Coreia do Norte, que já realizou neste ano 16 testes de mísseis. Um deles, de um míssil balístico intercontinental que segundo analistas teria capacidade de atingir a costa oeste dos EUA, aconteceu no final de março, horas antes do início do encontro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Continua após a publicidade

Sob temores de ataques do vizinho, o presidente sul-coreano Yoon Suk Yeol, empossado no mês passado, afirmou que pretende adotar uma postura mais dura do que seu antecessor, Moon Jae-in, em relação à Coreia do Norte.

+ Presidente sul-coreano diz que era de ‘apaziguar’ Coreia do Norte acabou

Embora em dezembro passado as Coreias do Norte e Sul, juntamente com Estados Unidos e China, tenham concordado inicialmente em declarar o fim da Guerra da Coreia, quase 70 anos depois do término dos conflitos, tensões ainda são altas. 

Além dos testes recentes, o país governado por Kim também está expandindo seu arsenal de mísseis com capacidade de alcance à Coreia do Sul, que abriga cerca de 28.500 soldados dos EUA. O líder norte-coreano alertou recentemente que usaria proativamente armas nucleares se ameaçada ou provocada, sugerindo uma escalada em sua doutrina nuclear.

Dentro deste cenário, o chefe de Estado sul-coreano disse que deseja fortalecer os laços com Washington enquanto aprimora as capacidades de ataque e defesa de mísseis de seu país. 

Analistas do Instituto de Pesquisa para Estratégia Nacional da Coreia do Sul afirmam que Jong-un também buscará uma declaração robusta de Biden reafirmando o compromisso dos EUA de fornecer “dissuasão estendida” à Coreia do Sul e uma promessa de defender seu aliado com toda a sua gama de capacidades militares, incluindo armas nucleares, em caso de guerra com a Coreia do Norte.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)