Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coreia do Norte volta a disparar míssil de curto alcance

É o quatro projétil lançado desde sábado, o que Seul vê como provocação

Por Da Redação 19 Maio 2013, 07h24

A Coreia do Norte voltou a lançar neste domingo pelo segundo dia consecutivo um míssil de curto alcance ao Mar do Leste (Mar do Japão) a partir de sua costa oriental, informaram fontes do Ministério de Defesa sul-coreano. Após o lançamento no sábado de três mísseis guiados de curto alcance, o regime de Pyongyang fez um novo lançamento, desta vez na direção norte. “Depois de ontem, a Coreia do Norte lançou um míssil de curto alcance ao Mar do Leste”, assegurou uma fonte da Defesa.

Leia também:

Coreia do Norte dispara três mísseis e deixa Seul em alerta

Coreia do Norte tem duzentas bases de lançamentos de mísseis

Embora os lançamentos possam ser simplesmente exercícios rotineiros, é considerado um gesto beligerante por parte do regime de Pyongyang após um período de várias semanas nas quais notavelmente baixou o tom de sua última campanha de ameaças bélicas.

Continua após a publicidade

Defesas – Pouco antes da informação de que a Coreia do Norte disparou seu quarto míssol, Seul revelou que instalou baterias antiaéreas com mísseis guiados de precisão em suas ilhas fronteiriças do Mar Amarelo. O sistema, de fabricação israelense, é capaz de alcançar a artilharia da Coreia do Norte, segundo revelaram neste domingo fontes do Exército sul-coreano. “Dezenas de mísseis Spike e suas plataformas de lançamento foram desdobrados recentemente nas ilhas de Baengnyeong e Yeonpyeong”, assegurou um oficial do Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS) em declarações à agência sul-coreana Yonhap.

A mesma fonte disse que os mísseis “podem destruir” instalações militares no terrirório da Coreia do Norte, assim como atingir alvos em movimento.A colocação destes mísseis, que têm um alcance de 20 quilômetros e um peso de 70 quilos, estava prevista para o final de 2012, mas o atraso nos testes de lançamento fez com que seu desdobramento só fosse realizado agora, seis meses mais tarde.

Tensão – Os lançamentos dos mísseis voltaram a aumentar a tensão na península coreana e foram o primeiro ato beligerante de Pyongyang nas últimas semanas. Desde o início de maio, o regime de Kim Jong-un vinha diminuindo o tom em sua recente campanha de ameaças contra a Coreia do Sul, o Japão e os Estados Unidos.

Apesar da preocupação dos vizinhos, os lançamentos não descumpriram, a princípio, nenhuma norma internacional, já que os mísseis utilizados eram todos de curto alcance. Diversas resoluções da ONU proíbem que Pyongyang lancem projéteis de longo alcance e com grande capacidade de carga. As medidas buscam evitar que o regime de Kim Jong-un desenvolva um programa de armas nucleares intercontinentais.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade