Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Coreia do Norte revela que irmã de Kim Jong-un é alta funcionária do partido

Agência chamou Kim Yo-jong de "vice-diretora departamental do comitê central do partido"

Por Da Redação 27 nov 2014, 09h20

A imprensa da Coreia do Norte revelou nesta quinta-feira que a irmã mais nova do líder Kim Jong-un é uma alta funcionária do partido comunista do país, fortalecendo a visão de analistas que acreditam que ela tem se tornado uma personagem influente da dinastia familiar que governa o país.

A mídia estatal se referiu à Kim Yo-jong como “vice-diretora departamental do comitê central do partido” em uma reportagem da agência KCNA. Segundo especialistas, a menção pode significar que o seu papel de apoiar o regime autoritário do irmão tem crescido. O próprio pai dos dois, Kim Jong-Il, reservava uma posição de confiança à sua irmã durante o seu governo, que durou 17 anos. A idade exata de Kim Yo-jong é desconhecida, mas acredita-se que ela tenha entre 25 e 29 anos. O ditador do país tem ainda outro irmão, Kim Jong-chol, mas o governo do país nunca revelou se ele tem algum cargo.

Leia também:

ONU considera líder norte-coreano ‘cúmplice’ de abusos aos direitos humanos

Coreia do Norte liberta americanos acusados de espionagem

Continua após a publicidade

Coreia do Norte reclama na ONU de comédia sobre Kim Jong-un

A imprensa do país já havia citado que Kim Yo Jung ocupava uma posição de destaque, mas essa foi a primeira vez que seu cargo foi explicitado. Segundo o especialista Yang Moo-jin, da Universidade de Estudos sobre a Coreia do Norte, em Seul, o cargo de Kim Yo-jong é equivalente ao de vice-ministro de gabinete. Para ele, o anúncio da posição dela é um sinal de que o governo está confiante o suficiente para apresentá-la como uma importante peça de liderança. Kim Yo-jong fez sua primeira aparição pública em 2011, durante o funeral do pai e ocasionalmente tem sido fotografada ao lado do irmão ditador.

Cheong Seong-chang, um analista do instituto Sejong, também na Coreia do Sul, afirma que a irmã do líder deve ter maior influência que outros norte-coreanos com a mesma posição, já que pertence à família Kim. Para ele, colocá-la em uma posição de importância, Kim Jong-un segue fortalecendo o seu controle sobre a elite da Coreia do Norte.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade