Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Coreia do Norte lança dois mísseis de curto alcance

Regime de Kim Jong-un desafia veto da ONU e faz novo teste sem designar zonas de não navegação, o que foi considerado uma provocação pelo Sul

A Coreia do Norte lançou dois mísseis de curto alcance em direção ao Mar do Leste neste domingo (pelo horário local), desafiando a proibição das Nações Unidas. O teste ocorre quatro dias antes da visita do presidente da China, Xi Jinping, a Seul.

Segundo fontes militares da Coreia do Sul, os mísseis balísticos Scud voaram por cerca de 500 km, a partir da cidade portuária de Wonsan, e caíram em águas localizadas entre a Coreia do Norte e o Japão. O novo teste foi feito sem que zonas de não navegação fossem designadas, o que foi considerado uma provocação pelo vizinho do sul.

Esta foi a segunda ação deste tipo por parte do regime de Kim Jong-un em três dias. Na quinta-feira, os norte-coreanos testaram o que descreveram como “novos mísseis guiados de precisão”. Os vizinhos da Coreia do Norte consideraram a ação deste fim de semana mais provocadora por violar uma série de resoluções da ONU contra testes de qualquer tecnologia de projéteis balísticos, para impedir o desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais com ogiva nuclear. Pyongyang faz testes de mísseis e artilharia regularmente, principalmente como forma de ameaça a Seul e Washington.

Leia também:

Para Coreia do Norte, comédia sobre complô contra Kim Jong-un é “ato de guerra”

Coreia do Norte faz disparos perto de navio militar sul-coreano

A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, já se encontrou quatro vezes com o presidente chinês e tem tentado convencer a China a usar seu poder econômico para barrar as ambições nucleares do Norte, lembra o jornal The New York Times. A frustração de Pequim com o tradicional aliado só tem crescido uma vez que Kim Jong-un tem ignorado os apelos por moderação. A relação piorou depois do terceiro teste nuclear conduzido por Pyongyang, em fevereiro do ano passado.

(Com Estadão Conteúdo e agência France-Presse)