Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Coreia do Norte enviará delegação ao encerramento dos Jogos

Comitiva será liderada por importante general, que lidera inteligência norte-coreana

Por Da redação Atualizado em 22 fev 2018, 10h39 - Publicado em 22 fev 2018, 09h47

A Coreia do Norte enviará uma delegação de alto nível para a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Pyeongchang, na Coreia do Sul, que será realizada no próximo domingo. Os dois países passam por um momento histórico de restauro das relações diplomáticas por causa do evento.

A comitiva de Pyongyang, que viajará durante três dias ao país vizinho, será liderada pelo general Kim Yong-chol, vice-diretor do comitê central Partido dos Trabalhadores e chefe da inteligência no país. Também inclui Ri Son-gwon, responsável pela agência de relações intercoreanas.

Seul considera que a visita desta delegação “ajudará a melhorar as relações intercoreanas e a trabalhar pela paz na península da Coreia, assim como para a desnuclearização do Norte”, afirmou o Ministério da Unificação sul-coreano.

A comitiva, de oito membros, assistirá a cerimônia de encerramento dos Jogos de Inverno, no Estádio Olímpico de Pyeongchang. Esta é a segunda visita de oficiais norte-coreanos aos Jogos, já que outra comitiva liderada pela irmã de Kim Jong-un, Kim Yo-jong, participou da abertura do evento esportivo, no dia 9 deste mês.

Continua após a publicidade

Um porta-voz do escritório da presidência sul-coreana afirmou que o presidente Moon Jae-in provavelmente se reunirá com a delegação durante a cerimônia.

A visita anterior de Yo-jong representou a primeira viagem de um membro da dinastia Kim ao país vizinho. Foi também um passo significativo no processo de aproximação entre os dois países, que tecnicamente permanecem em guerra.

Além da comitiva da Coreia do Norte, a filha do presidente dos Estados Unidos, Ivanka Trump, também estará na cerimônia. Ela deve chegar na sexta-feira em Seul, para talvez também se encontrar com Moon Jae-in.

Reunião

Durante sua visita,  Kim Yo-jong repassou um convite de seu irmão, Kim Jong-un, ao presidente sul-coreano para uma reunião entre os dois lados em Pyongyang. A possibilidade de um encontro entre as lideranças coreanas gerou grande expectativa e temor na comunidade internacional.

Moon Jae-in, contudo, afirmou  na semana passada que ainda é cedo para considerar uma reunião com a Coreia do Norte, apesar da aproximação propiciada pelos Jogos Olímpicos de Inverno. “Há grandes esperanças para uma cúpula Norte-Sul, mas creio que seja um pouco precipitado”, declarou o presidente.

(Com EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês