Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Coreia do Norte coloca americano em ‘prisão especial’

Kenneth Bae foi condenado por tentar derrubar o regime, segundo o governo

A Coreia do Norte anunciou nesta quarta-feira que o cidadão americano Kenneth Bae está em uma “prisão especial” depois de ser condenado a 15 anos de trabalhos forçados por supostos crimes contra o estado comunista. O governo norte-coreano, citado hoje pela agência KCNA, disse que Bae ingressou no centro especial ontem, mas não deu mais detalhes sobre a natureza do local ou sobre o regime de internação.

Em 30 de abril, a Suprema Corte norte-coreana sentenciou Kenneth Bae a 15 anos de trabalhos forçados por violar o artigo 60 da Constituição do país comunista, dedicado a crimes com o objetivo de “derrubar o regime”. Segundo a imprensa sul-coreana, o americano preso, que também é conhecido como Bae Jun-ho, chegou ao país no dia 1º de novembro de 2012 pela cidade de Rason (nordeste) e na companhia de outros cinco turistas.

Leia também:

Leia também: Coreia do Norte não será compensada por provocações, dizem EUA

Após ser localizado pelas autoridades norte-coreanas, o americano foi detido. Posteriormente, após a apresentação das provas, o americano admitiu sua autoria, segundo o regime de Kim Jong-un.

Nos últimos anos, a Coreia do Norte deteve vários cidadãos americanos, que foram libertados após longas e confusas negociações, sendo que algumas delas chegaram a contar com a participação de ex-presidentes americanos, como Bill Clinton ou Jimmy Carter.

Em maio, após tomar conhecimento dessa decisão da justiça norte-coreana, o governo dos Estados Unidos pediu ao regime de Kim Jong-un para anistiar e libertar imediatamente o guia turístico americano, manifestando sua preocupação com a “falta de transparência” do sistema judiciário do país asiático.