Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Conte aceita formar governo na Itália e apresenta lista de ministros

O Movimento 5 Estrelas (M5S) e o ultradireitista Liga Norte chegaram a um acordo depois de mais de dois meses de instabilidade política

Por EFE - Atualizado em 31 maio 2018, 19h05 - Publicado em 31 maio 2018, 18h02

O jurista Giuseppe Conte, proposto pelo partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e o ultradireitista Liga Norte, aceitou formar um governo na Itália e apresentou imediatamente sua lista de ministros ao presidente Sergio Mattarella.

Mattarella convocou Conte depois que o M5S e a Liga anunciaram que tinham chegado outra vez a um acordo para apresentar um novo Executivo, após o veto do presidente ao indicado pelo jurista para o cargo de ministro da Economia, o eurocético Paolo Savona, de 81 anos.

Na lista que Conte entregou hoje a Mattarella, Savona estará à frente do Ministério de Assuntos para a União Europeia (UE), enquanto o M5S e a Liga deixaram a pasta de Economia a cargo do professor romano Giovanni Tria, de 69 anos.

O juramento de Conte e do Executivo acontecerá amanhã às 16h (horário local, 11h de Brasília).

Publicidade

Conte, um jurista praticamente desconhecido até uma semana atrás e que hoje deu aulas normalmente na Universidade de Florença, falou depois do anúncio do presidente para comunicar seu Executivo.

Entre as mudanças com relação à lista que pretendiam apresentar na semana passada estava o novo ministro de Relações Exteriores que será agora o ex-juiz do Tribunal de Justiça da UE, Enzo Moavero Milanesi. A distribuição de pastas entre o M5S e a Liga é praticamente equitativa.

O M5S ficou com Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Luigi Di Maio), Saúde (Giulia Grillo), Cultura e Turismo (Alberto Bonisoli), Defesa (Elisabetta Trenta), Justiça (Alfonso Bonafede), Assuntos para o Sul (Barbara Lezzi), Infraestruturas (Danilo Toninelli), Relações com o Parlamento (Riccardo Fraccaro) e Meio Ambiente (Sergio Costa).

Por sua vez, a Liga controlará Interior (Matteo Salvini), Administração Pública (Giulia Bongiorno), Assuntos Regionais (Enrica Stefani), Incapacidade e Família (Lorenzo Fontana), Agricultura (Gianmarco Centinaio) e Educação (Marco Bussetti).

Publicidade

Além disso, o braço direito de Salvini, Giancarlo Giorgetti, será nomeado como subsecretário da presidência do governo.

Esse Executivo terá ainda que superar a votação de posse nas duas casas do parlamento, a Câmara dos Deputados e o Senado, o que deve acontecer sem percalços, uma vez que o M5S e a Liga contam com maioria absoluta.

Publicidade