Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Conselho de Segurança da ONU rejeita resolução apresentada pela Rússia

Documento pedia ajuda à proteção de civis na Ucrânia, porém não citava o papel do país na crise

Por Matheus Deccache 23 mar 2022, 19h53

O Conselho de Segurança das Nações Unidas recusou nesta quarta-feira, 23, um pedido da Rússia para acesso à ajuda e proteção civil na Ucrânia. O documento, que não cita o papel do Kremlin na crise, recebeu apenas dois votos a favor – da própria Rússia e da China

“Se a Rússia se importasse com a situação humanitária, pararia de bombardear crianças e acabaria com suas táticas de cerco. Mas não o fizeram”, disse a embaixadora do Reino Unido na ONU, Barbara Woodward, ao conselho após a votação, acusação constantemente negada pela Rússia.

+ Alto funcionário do governo russo há décadas, assessor de Putin renuncia

Para que uma resolução seja aprovada no Conselho de Segurança ela precisa de, no mínimo, nove votos a favor e não pode ser vetada por Rússia, China, Reino Unido, Estados Unidos e França, que são membros permanentes.

Na última sexta-feira, Moscou cancelou uma votação planejada no Conselho depois de acusar países ocidentais de uma campanha de “pressão sem precedentes” contra a medida, alegação negada pelos Estados Unidos.

A Ucrânia e seus aliados ocidentais estão planejando colocar um projeto de resolução semelhante em votação ainda nesta semana na Assembleia Geral, composta por 193 membros onde nenhum tem poder de veto. Embora não sejam vinculativas, as resoluções têm um grande peso político.

Continua após a publicidade

“Em um mês, a Rússia causou uma das catástrofes humanitárias que mais crescem no mundo”, disse a embaixadora americana nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, à Assembleia Geral nesta quarta-feira.

Em resposta, a África do Sul pretende lançar um projeto de texto que rivalize com o da Ucrânia, porém sem citar a Rússia. No entanto, a proposta ucraniana já conta com o apoio de 88 membros, enquanto o sul-africano conta com apenas seis, incluindo a China.

+ Otan deve enviar mais tropas para o leste da Europa, diz secretário-geral

O embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, acusou a Ucrânia de realizar “outro show político anti-russo” na Assembleia Geral e pediu aos países que votem a favor do projeto de resolução sul-africano, dizendo que “enviará um sinal à população pacífica da Ucrânia de que as Nações Unidas estão cientes de sua situação e querem ajudar”. 

Em contrapartida, o chanceler ucraniano, Sergiy Kyslytsya, apelou aos membros para que votem juntamente ao país, de forma a se opor à guerra. A Ucrânia e seus aliados têm buscado aumentar a quantidade de votos a favor para pressionar ainda mais a Rússia nas Nações Unidas. 

Em 2 de março, um documento que lamentava a agressão russa ao país vizinho conseguiu 141 votos a favor. Na ocasião, a própria Rússia, Belarus, Eritreia, Coreia do Norte e Síria votaram contra, ao mesmo tempo que outros 35 Estados, incluindo a China, se abstiveram. 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)