Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conselho de Segurança da ONU aprova trégua de 30 dias na Síria

O cessar-fogo servirá para a ajuda humanitária e retirada dos que estão seriamente doentes e feridos. Rússia e Estados Unidos divergiram sobre a decisão

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou por unanimidade uma resolução exigindo um cessar-fogo de 30 dias na Síria para a chegada de ajuda humanitária e retirada dos que estão seriamente doentes e feridos. A votação foi adiada por dois dias por causa da hesitação da Rússia, que tinha dito várias vezes que um cessar-fogo não era algo realista.

Kuwait e Suécia modificaram a resolução na sexta-feira à noite, numa tentativa de última hora de convencer a Rússia, retirando a exigência para que o cessar-fogo entrasse em vigor em 72 horas. A retirada da exigência funcionou, embora a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, tenha criticado duramente a Rússia por atrasar a votação.

A resolução não diz quando o cessar-fogo deve entrar em vigor, mas exige que comboios humanitários e equipes médicas tenham acesso às áreas de conflito imediatamente após seu início, para a retirada de doentes e feridos.

Segundo a resolução, 5,6 milhões de pessoas em 1.244 comunidades estão em “sérias necessidades”, incluindo 2,9 milhões em locais sitiados ou de difícil acesso. Antes da votação, o embaixador da Suécia na ONU, Olof Skoog, disse ao conselho que os comboios da ONU e equipes de resgate estavam prontos.

Suécia, Kuwait e vários outros países vêm pressionado por uma ação imediata da ONU, após o aumento das mortes em bombardeios do governo sírio contra subúrbios de Damasco conhecidos como Ghouta Oriental. A resolução pede que todas as partes envolvidas no conflito suspendam imediatamente o cerco a áreas como Ghouta Oriental, Yarmouk, Foua e Kefraya.

O Conselho de Segurança, porém, abriu uma exceção. Ataques contra extremistas do grupo Estado Islâmico e todos os grupos afiliados à Al-Qaeda podem prosseguir. Fonte: Associated Press.

EUA x Rússia

As críticas dos Estados Unidos à Rússia por “atrasar” durante dias a resolução da ONU foram duras.

“Cada minuto que o Conselho esperou pela Rússia, o sofrimento humano aumentou”, disse a embaixadora americana nas Nações Unidas, Nikki Haley, imediatamente depois da aprovação do texto.

Haley comemorou as ações estipuladas hoje, mas insistiu que a decisão “chega tarde”.

“Nos três dias em que demoramos para concordar esta resolução, quantas mães perderam seus filhos?”, questionou a diplomata.

A embaixadora americana insistiu que agora é fundamental garantir que o governo sírio cumpra a trégua de 30 dias e, especialmente, que suspenda os ataques na cidade opositora de Ghouta Oriental. Ela disse acreditar que a aprovação da resolução será “um ponto de inflexão” que levara à Rússia a se unir ao Ocidente para tentar acabar com a guerra.

(Com Estadão Conteúdo e EFE)