Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Congresso espanhol suspende quatro deputados separatistas catalães

Decisão pode ajudar o novo governo de Pedro Sánchez a formar maioria na Câmara sem recorrer ao apoio dos partidos contrários à unidade espanhola

Por da Redação 24 Maio 2019, 17h57

O Congresso espanhol suspendeu, nesta sexta-feira, 24, quatro deputados separatistas que estão presos e sendo julgados pela tentativa de independência da Catalunha em 2017. Os parlamentares suspensos foram Oriol Junqueras, Jordi Turull, Josep Rull e Jordi Sánchez, todos eleitos neste ano.

“A mesa do Congresso decidiu declarar automaticamente suspensos do exercício do cargo”, anunciou a presidente da Câmara, Meritxell Batet.

A decisão foi tomada após um pedido da Suprema Corte e de uma consulta ao departamento jurídico da Casa – ao qual Batet também pediu um informe sobre como deverá ser contabilizada a maioria necessária para governar no Parlamento espanhol.

A suspensão desses quatro deputados pode ajudar Pedro Sanchéz, ganhador das eleições de 28 de abril, a formar uma base mínima para governar. Se o número de deputados cair, Sanchéz poderia ser empossado em julho sem a necessidade de ter em sua base de governo o apoio ou abstenção dos partidos separatistas catalães. Em fevereiro, Sánchez foi alvo de protestos e críticas por aceitar negociar com os separatistas.

Por outro lado, se os deputados suspensos puderem ceder seus assentos aos suplentes, o chefe do governo deverá contar com eles para permanecer no poder. Tratá-se de algo que o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), sigla da qual Sanchéz faz parte, tenta evitar.

Continua após a publicidade

Os quatro deputados são acusados de rebelião por organizarem um referendo de autodeterminação na proibido pela Justiça de Madri e pela declaração unilateral de independência da Catalunha, em 2017. Dos acusados, três deles – Junqueras, Turull e Rull – também foram indiciados por mau uso do dinheiro público ao realizar a consulta popular.

O julgamento começou no mês de fevereiro em Madri. Além deles, outros sete líderes separatistas estão sendo julgados pelos mesmos crimes.

Eleições Europeias

Oriol Junqueras, líder do partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), também é candidato às eleições europeias como líder de uma coalizão dos separatistas bascos do EH Bildu e os nacionalistas galegos.

“Eles nos suspenderam na Espanha, mas não poderão fazê-lo na Europa!”, reagiu o líder em sua conta no Twitter. “Um preso político que entra no Parlamento Europeu é a melhor maneira de denunciar a repressão do Estado espanhol, é colocar em xeque o Estado diante de toda a Europa”, acrescentou.

Nessas eleições, ele enfrentará Carles Puigdemont, que foi seu presidente no governo catalão e que se estabeleceu na Bélgica antes de ser acusado de rebelião.

No seu caso, ele é candidato pelo partido Juntos pela Catalunha, com quem o ERC disputa a liderança do movimento de independência, apesar de serem aliados no governo regional.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)