Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Confrontos armados paralisam o centro de Trípoli

Por Marco Longari - 3 jan 2012, 17h12

Confrontos armados foram registrados nesta terça-feira no centro de Trípoli, com um saldo provisório de quatro mortos e pelo menos cinco feridos, perto do edifício dos serviços de inteligência do antigo regime de Muamar Kadhafi, informou o chefe do Conselho Militar de Trípoli, Abdelhakim Belhaj.

Segundo Belhaj, houve enfrentamentos entre as milícias de ex-rebeldes de Misrata (215 Km ao leste de Trípoli) e membros do Conselho Militar local de Zauia, um bairro do centro da capital.

Os enfrentamentos deixaram quatro mortos e cinco ou seis feridos, disse o alto funcionário em uma coletiva de imprensa.

“As pessoas envolvidas (…) foram detidas e serão apresentadas à justiça”, disse.

Publicidade

Belhaj minimizou o acontecimento e se referiu a ele como um “pequeno incidente”.

Anteriormente, o comandante Masu al Jadar, integrante de uma milícia que controla a zona onde o edifício está situado, informou sobre os dois mortos, dizendo que os enfrentamentos começaram quando um grupo armado de Misrata atacou a milícia depois que um homem bêbado foi detido.

O homem alcoolizado, um ex-rebelde de Misrata foi detido por sua atividade “violenta”, explicou.

Ele foi liberado, mas “logo um comboio de combatentes de Misrata chegou com armas. Começamos a discutir e um deles disparou, desencadeando os enfrentamentos”.

Publicidade

Segundo outra versão dos fatos os confrontos aconteceram quando combatentes de Misrata tentaram prender um homem acusado de fazer parte do antigo regime.

Jornalistas da AFP também informaram que os conflitos começaram quando o Ministério do Interior líbio tentou recuperar o controle do edifício onde funcionava o serviço de inteligência, motivando a reação armada da milícia que controla o complexo, segundo testemunhas.

Durante o confronto foram ouvidos disparos de metralhadoras e canhões antiaéreos. Rebeldes seguiram para o local com lança-foguetes RPG.

Um responsável pelo Ministério do Interior, citado pela agência oficial Wal, disse que as forças de seu ministério “controlaram a situação” e que “iniciaram uma investigação para determinar as causas do incidente”.

Publicidade

No final da tarde a tensão era perceptível em Trípoli, onde muitos bairros foram fechados para a circulação.

As novas autoridades líbias têm dificuldades para dissipar as milícias armadas dos ex-rebeldes que impõem sua lei no país desde a queda do regime de Muamar Kadafi.

Diversas milícias armadas usam como base antigos edifícios usados durante o regime de Kadhafi.

Recentemente o ministro do Interior, Fauzi Abdelali, anunciou um plano que prevê a integração a curto prazo de 50 mil combatentes e ex-rebeldes das Forças Armadas e serviços de segurança.

Publicidade