Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Confira as fotos do réveillon mundo afora

Já é 2016 nas Austrália, Nova Zelândia, Samoa e também Rússia. Nesses países, ou em parte deles, virada do ano aconteceu às 11h00 do horário de Brasília. Como manda a tradição, a cidade de Sydney comemorou a chegada do ano novo com em espetáculo de queima de fogos de artifício. No Brasil, as duas maiores cidades do país, São Paulo e Rio de Janeiro, se preparam para a virada com festas na Avenida Paulista e na praia de Copacabana.

A Secretaria Estadual de Turismo do Rio acredita que o Estado receba mais de 800.000 turistas para o Réveillon. O período estimado é 28 de dezembro a 1º de janeiro de 2016 – o movimento na economia deve ser de 2,5 bilhões de reais somente na capital, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis. Na capital, o bairro de Copacabana, cenário da principal queima de fogos do Brasil, tem ocupação de 90% dos leitos dos hotéis. Ipanema e Leblon, bairros vizinhos, 94%. Na Barra da Tijuca, hotéis de luxo também estão lotados.

Europa em alerta – As principais cidades europeias ameaçadas pelo terrorismo islâmico recebem 2016 com um forte dispositivo de segurança em suas celebrações populares, o que deixou Paris e Bruxelas sem fogos de artifício e a Praça Vermelha de Moscou fechada para o público. “Esta não será uma festa de Ano Novo como as outras”, advertiu o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, ao anunciar uma mobilização sem precedentes de 60.000 policiais e militares nas principais cidades da França, dos quais 11.000 estarão em Paris. A suspensão dos emblemáticos fogos de artifício das imediações da Torre Eiffel e a redução a apenas 10 minutos das projeções de vídeo no Arco do Triunfo, assim como a limitação de acesso à Champs-Elysées, correspondem a uma preocupação em reduzir os riscos nas concentrações de gente.

A emblemática Praça Vermelha de Moscou, o coração da cidade onde é tradição festejar a chegada do Ano Novo, estará fechada nesta noite ao público, enquanto 15.000 policiais se encarregarão de zelar pela segurança da capital da Rússia. Em Londres, cerca de 3.000 agentes estarão nas ruas da cidade que também mantém seus tradicionais fogos de artifício perto da roda-gigante situada contra o parlamento, embora unicamente será permitido o acesso dos que tenham entradas. Madri, que em 2004 sofreu o pior atentado jihadista na Europa com 191 mortos, reforçará seus controles e permitirá apenas 25.000 pessoas (a metade da capacidade) que presenciem na praça da Porta do Sol as badaladas de Fim de Ano.

(Da redação)