Clique e assine a partir de 8,90/mês

Condenação de Mursi é ‘ruim’ para o Egito, diz Parlamento Europeu

Para o presidente do parlamento, Martin Schulz, Mursi e os outros condenados da Irmandade Muçulmana 'têm direito a um julgamento justo como qualquer outro cidadão'

Por Da Redação - 17 Maio 2015, 12h19

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, afirmou neste domingo que a condenação provisória à morte do ex-presidente egípcio Mohammed Mursi é “ruim” para a justiça e para o Egito. Em sua conta no Twitter, Schulz disse que tanto Mursi como os outros representantes da Irmandade Muçulmana condenados “têm direito a um julgamento justo como qualquer outro cidadão”.

Leia também:

Egito condena Mohammed Morsi, deposto em 2013, à morte

Ex-ditador egípcio Mubarak volta a ser condenado à prisão por corrupção

Justiça do Egito condena Morsi a 20 anos de prisão por incidentes de 2012

Mursi foi condenado provisoriamente à morte neste sábado, após ser considerado culpado de fugir, junto com outros 105 islamitas, de uma prisão durante a revolução de 2011 – que depôs o então líder Hosni Mubarak – graças à suposta ajuda de combatentes do Hamas e da organização libanesa xiita Hezbollah.

O Tribunal Penal do Cairo enviou a decisão ao grande mufti, Shauqi Alam, máxima autoridade religiosa islâmica do país, que emitirá uma opinião não vinculativa, mas que poderá influenciar na decisão final da corte, prevista para o dia 2 de junho.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade