Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Companhia aérea considera ‘mínima’ chance de erro humano em queda

'Nem consideramos essa possibilidade', disse vice da Ukranian International Airlines, que destacou experiência da tripulação

Por Da Redação - Atualizado em 9 jan 2020, 11h15 - Publicado em 9 jan 2020, 08h05

A companhia aérea Ukranian International Airlines (UIA), dona do avião que caiu no Irã, afirmou na quarta-feira 8 considerar “mínima” a chance de um erro humano ter provocado o desastre que matou todas as 176 pessoas a bordo. As causas da queda do voo que seguia de Teerã para Kiev, na Ucrânia, na madrugada de quarta, ainda estão sendo investigadas.

“O aeroporto de Teerã não é nada simples. Por isso, por muitos anos a UIA vem usando esse aeroporto para conduzir treinamentos com o Boeing 737 visando avaliar a proficiência e habilidade dos pilotos de agir em casos de emergência”, disse Ihor Sosnovsky, vice-presidente de operações da UIA. “De acordo com nossos registros, a aeronave subiu a uma altitude de 2.400 metros. Dada a experiência da tripulação, a probabilidade de erro é mínima. Nós nem consideramos essa possibilidade.”

O Boeing 737 caiu pouco depois de decolar do aeroporto de Teerã matando 176 pessoas de diversas nacionalidades. Toda a tripulação era ucraniana. Entre as vítimas da tragédia estão 82 iranianos, 63 canadenses, onze ucranianos, dez suecos, quatro afegãos, três alemães e três britânicos.

O desastre aconteceu horas depois de o Irã ter lançado disparos de mísseis contra duas bases americanas no Iraque. Os bombardeios foram uma retaliação ao ataque aéreo americano que matou o general Qasem Soleimani, em Bagdá, na semana passada.

Publicidade

Falha mecânica

Fontes de inteligência dos Estados Unidos e do Canadá ouvidas pela Reuters disseram à agência, sob a condição de anonimato, que a avaliação inicial é de que o avião teve uma falha mecânica em um motor – e não que tenha sido atingido por engano por um míssil antiaéreo iraniano, como foi especulado.

Pelas regras internacionais, o Irã tem a responsabilidade de investigar a queda. A televisão estatal iraniana informou que gravadores de dados e a caixa-preta do avião foram encontrados. O chefe da agência de aviação civil do país disse, segundo a agência semioficial iraniana Mehr, que o Irã não iria entregar a caixa-preta para a Boeing.

(Com agência Reuters)

Publicidade