Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Como fica a geopolítica depois da tragédia com o voo MH17

Saiba quais os interesses em jogo e as implicações imediatas para os principais atores envolvidos no desastre: Ucrânia, Rússia, Estados Unidos e Europa

A queda do avião da Malaysia Airlines com 298 pessoas a bordo depois de ser atingido por um míssil no leste da Ucrânia não é uma tragédia aérea comum – muitas guerras já foram iniciadas por muito menos. O ataque a uma aeronave civil que sobrevoava uma área de conflito tem implicações imediatas para os principais atores geopolíticos envolvidos: Ucrânia, Rússia, Estados Unidos e Europa. Segundo especialistas consultados pelo site de VEJA, um ponto está claro: se, por um lado, o episódio representa a mais grave ameaça à paz mundial neste século, por outro, todos os envolvidos querem e vão se movimentar para evitar ao máximo uma guerra de proporções imprevisíveis.

“É altamente improvável que a Europa leve adiante uma ação militar caso as circunstâncias exijam isso. Além disso, os EUA estão indo na direção de apontar que o abate do avião foi um acidente, que os rebeldes apoiados pela Rússia erraram e não tinham a intenção de derrubar um avião civil, neutralizando as tensões”, afirma Bert Patenaude, professor de Relações Internacionais da Universidade de Stanford.

Leia também

Rebeldes derrubam dois caças militares no leste da Ucrânia

EUA: Há evidências de que a Rússia treinou rebeldes que derrubaram avião

Por que UE e Rússia querem tanto a Ucrânia?

Por enquanto, o que se sabe, segundo o governo dos Estados Unidos, é que o míssil que derrubou o voo MH17 partiu da zona controlada por separatistas pró-Rússia no leste ucraniano. Os separatistas negam e acusam o governo de Kiev de ser o responsável pelo ato abominável. Os EUA comunicaram que não vão poupar esforços para descobrir o autor do disparo. A Rússia nega a autoria e ainda distorce o discurso ao afirmar que o governo de Kiev criou um ‘cenário’ para a tragédia. Confira os interesses envolvidos e as consequências imediatas da derrubada do Boeing 777 no leste da Ucrânia.