Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Começa retirada de civis das zonas cercadas de Homs

Ação humanitária é coordenada conjuntamente pela ONU e forças do regime

A evacuação dos civis dos bairros que estão cercados na cidade de Homs, no centro da Síria, começou nesta sexta-feira conforme prevê acordo humanitário alcançado entre o regime e os opositores, segundo a televisão oficial síria. A emissora explicou que a saída dos cidadãos se desenvolve em cooperação com as Nações Unidas (ONU), que mandou uma equipe ao bairro de Al Qarabis para facilitar a saída dos civis. Também participam da ação soldados do Exército sírio. A emissora mostrou imagens de uma fila de ônibus que esperavam a chegada dos evacuados para levá-los para outros lugares.

Em entrevista à agência de notícias estatal Sana, o governador de Homs, Talal Barazi, anunciou que espera que primeiro saia caminhando um grupo de 200 civis do bairro de Yuret al Shiah em direção ao distrito de Al Mimas. Segundo a imprensa oficial, o centro velho de Homs está cercado há seis meses, quando ‘grupos armados terroristas’ – como o governo classifica os rebeldes – se infiltraram no local. Segundo Barazi, a prioridade é retirar mulheres, crianças e idosos. Estarão excluídos da evacuação homens entre 15 e 55 anos, que muito provavelmente são combatentes. Segundo o governo sírio, homens desta faixa etária teriam de se registrar e “regularizar a sua situação” – processo que é semelhante a se render – informa a rede Al Jazeera.

Leia também

Regime sírio confirma que irá à nova rodada de negociações de paz

Rodada de negociação de paz na Síria termina em impasse

ONG acusa regime sírio de destruir casas para punir moradores

Ativistas defensores dos direitos humanos, no entanto, asseguram que o cerco do regime aos bairros em mãos dos rebeldes na parte antiga da cidade dura mais de 18 meses. Não se sabe o número exato de civis que permanecem no local e que sobrevivem praticamente sem comida e remédios, mas há uma estimativa que mais de 3.000 pessoas estejam nessa situação.

Tiros – Segundo a rede Al Jazeera, a cidade sitiada manteve-se praticamente tranquila nesta sexta-feira, aumentando a esperança de que a trégua continue por tempo suficiente para a evacuação inicial a ser concluída, mas houve relatos de um tiroteio. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um grupo com base na Grã-Bretanha que se opõe a Bashar Assad, informou que um franco-atirador de governo disparou duas vezes contra os refugiados, ferindo um homem. A rede estatal, no entanto, noticiou que o homem foi ferido pelos rebeldes. (Continue lendo o texto)

A ONU revelou nesta quinta-feira que o governo e os rebeldes tinham alcançado um acordo para a saída dos cidadãos e assegurou que a ajuda humanitária estava pronta para ser distribuída na zona. A evacuação foi anunciada durante a primeira rodada da conferência de paz de Genebra, entre 22 e 31 de janeiro, onde se sentaram pela primeira vez na mesma mesa representantes do regime e da oposição, com a mediação do enviado da ONU, Lakhdar Brahimi. O governo sírio confirmou nesta sexta-feira e sua participação na segunda rodada de negociações, prevista para começar a partir de segunda-feira.

Em quase três anos de duração, os conflitos na Síria entre as forças de Assad e os rebeldes opositores já mataram mais de 130.000 pessoas e provocaram o êxodo de mais de 2,4 milhões de refugiados.

(Com agências EFE e France-Presse)