Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Comandante do EI morre em ataques dos EUA em Falluja

Mais de 70 combatentes do grupo jihadista também foram mortos por bombardeios e artilharia da coalizão liderada pelos Estados Unidos

Dezenas de combatentes do grupo extremista Estado Islâmico (EI) morreram na cidade iraquiana de Falluja, entre eles o líder da organização radical naquela cidade, em ataques aéreos e de artilharia da coalizão liderada pelos Estados Unidos, informou um porta-voz militar nesta sexta-feira.

O coronel Steve Warren, radicado em Bagdá, disse que nos últimos quatro dias, 20 ataques à cidade sitiada pelo EI destruíram posições de combatentes do grupo jihadista e plataformas para o disparo de armas.

“Matamos mais de 70 combatentes inimigos, inclusive Maher Al-Bilawi, comandante das forças do Isis em Falluja”, disse Warren, usando outro acrônimo para denominar o EI. “Isso certamente não fará o inimigo parar de lutar completamente, mas é um golpe. Cria confusão e leva o segundo em comando a ter de se mover”, acrescentou.

Leia mais:

Coalizão internacional promove ofensivas contra redutos do EI no Iraque e na Síria

Iraque: situação de civis em Falluja preocupa ONU

Civis em risco – As forças iraquianas lançaram no começo desta semana uma operação para recuperar Falluja, um reduto do EI localizado a apenas 50 quilômetros a oeste de Bagdá. Entre 500 e 1.000 combatentes do EI estão na cidade, onde cerca de 50.000 civis estão impedidos de sair – os extremistas tentam matar aqueles que se arriscam a fugir.

Segundo Warren, aviões americanos têm lançado panfletos pedindo aos moradores para evitar áreas controladas pelos jihadistas. “Esses panfletos se direcionam àqueles que não conseguem sair de casa para colocar lençóis brancos nos telhados a fim de marcar sua localização. O Exército iraquiano está trabalhando com afinco para criar rotas de evacuação. E o governo local de Anbar montou acampamentos para os civis deslocados”, acrescentou.

Rebeldes tomaram Falluja no começo de 2014, e a cidade se tornou um reduto do EI. No mesmo ano, os extremistas se espalharam por vastas áreas do norte e do oeste de Bagdá, mas há meses estão na defensiva e perderam parte significativa do território para as forças iraquianas.

Warren disse que ainda é cedo para saber quanto tempo o combate em Falluja vai durar e quanta resistência os combatentes do EI vão impor.

(Com AFP)