Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com recorde de casos diários, Indonésia vira epicentro da pandemia na Ásia

Autoridades indonésias temem que variante Delta esteja se espalhando pelas ilhas de Java e Bali, onde surtos já levaram a fechamentos parciais de atividades

Por Da Redação 14 jul 2021, 11h48

A Indonésia registrou nesta quarta-feira, 14, mais de 54.000 novos casos de Covid-19 em 24 horas pela primeira vez desde o início da pandemia, superando números diários da Índia e se tornando o novo epicentro do coronavírus no continente asiático.

Autoridades indonésias temem que a variante Delta, descoberta pela primeira vez em território indiano e com alta capacidade de transmissão, esteja se espalhando pelas ilhas de Java e Bali, onde os surtos já levaram a fechamentos parciais de bares, restaurantes, igrejas e shoppings.

Enquanto a Índia começa a apresentar sinais de estabilidade, a Indonésia entra no seu pior momento desde quando os casos começaram a ser contabilizados. Na última segunda-feira, 12, 40.027 novos casos já haviam sido registrados. Com os números desta quarta, o país asiático atinge a marca de 2,62 milhões de contágios desde o início da pandemia e acumula 68.219 mortes.

Somado aos altos registros, a campanha de vacinação no país também preocupa as autoridades de saúde. Em uma população composta por 250 milhões de pessoas, apenas 8% receberam aplicações da vacina. Além disso, o ministro da Saúde indonésio afirmou na última terça-feira que mais de 90.000 dos 120.000 leitos disponíveis para a Covid-19 no país estão ocupados.

Autoridades do governo apontam ainda para o fato de que o número de novos casos pode ser ainda maior do que o registrado, uma vez que a testagem fora da capital Jacarta é precária. Das mais de 60.000 mortes registradas desde o início da pandemia, 8.000 são referentes às duas últimas semanas.

Continua após a publicidade

A Indonésia convive ainda com o medo da eficácia da vacina. Em dados levantados por uma associação de trabalhadores sanitários, 30 profissionais da saúde que receberam as duas doses da CoronaVac morreram de Covid-19 no país, levantando a possibilidade de aplicação de uma terceira dose do imunizante. 

Apesar dos números, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a empresa responsável pela vacina, Sinovac, apontam para a eficácia do produto, principalmente em casos mais graves da doença. Até o momento, a Indonésia efetivou a compra de doses suficientes para imunizar apenas 69 milhões dos habitantes e espera atingir a marca de 181 milhões de vacinados até março de 2022. 

Os estudos referentes à eficácia da CoronaVac contra as novas cepas, assim como de outros imunizantes, ainda é cercado de mistérios no que diz respeito à variante Delta. Apesar disso, ainda que a proteção contra as novas cepas seja menor do que o vírus “original”, não há motivo para desencorajar seu uso. 

Para tentar frear o avanço do novo coronavírus no país, o governo decidiu por decretar um confinamento parcial da população desde o dia 3 de julho, inicialmente previsto para terminar no dia 20. Escolas, parques, restaurantes e centros comerciais estarão fechados durante o período. 

No mês passado, a Cruz Vermelha já havia alertado que o país estava à beira de uma catástrofe devido ao aumento de casos, com hospitais cheios e níveis críticos de oxigênio. Além disso, o número de contágios em crianças quase triplicou em relação ao mês de maio. 

Continua após a publicidade
Publicidade