Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com frio, milhares precisam de moradia urgente em NY

Vítimas de tempestade lutam para se proteger do frio e estão sem energia

Por Da Redação 4 nov 2012, 13h43

Entre 30.000 e 40.000 de pessoas afetadas pela tempestade Sandy precisarão de moradia urgente, à medida que o tempo frio chega ao estado de Nova York, alertou neste domingo o governador Andrew Cuomo. Ao menos 106 pessoas morreram nos Estados Unidos, sendo 40 delas em Nova York.

“Ninguém nunca alojou todo este número de pessoas da noite para o dia. Será um autêntico desafio”, disse o prefeito. Enquanto as vítimas da tempestade lutam para se proteger do frio em meio à escassez de combustível e falta de energia, as autoridades tentam levar eleitores desalojados por causa da supertempestade aos locais de votação para a eleição presidencial da terça-feira.

Durante a noite e madrugada de domingo, temperaturas geladas atingiram o nordeste dos EUA. Pelo menos duas novas vítimas foram encontradas em Nova Jersey, uma morta de hipotermia.

Leia também:

Facebook ajuda a achar animais sumidos durante o Sandy

Continua após a publicidade

Brasileiro morre nos EUA em decorrência de tempestade

Falta de combustível devido a Sandy enfurece americanos

Provisões de combustíveis continuaram a ser levadas às regiões afetadas pelo desastre e a eletricidade vai aos poucos sendo restaurada em bairros às escuras por cauda da tempestade que atingiu a costa na última segunda-feira. Segundo o prefeito Michael Bloomberg, levará dias para que a energia seja restaurada por completo e termine a escassez de combustíveis.

Na sexta, Bloomberg cancelou abruptamente a maratona de Nova York por causa das críticas de que o evento iria desviar recursos que precisavam ir às áreas atingidas. Centenas de corredores organizaram corridas informais para distribuir alimentos e roupas nas regiões atingidas, como Staten Island. Em entrevista televisionada quase uma semana depois que a tempestade atingiu a costa leste americana, Cuomo disse que a escassez de combustível está melhorando, mas que os problemas persistirão por “alguns dias”.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade