Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com apoio esquerdista, líder independentista é reeleito na Catalunha

Aliança entre os partidos Convergência e União e Esquerda Republicana da Catalunha permitiu reeleição de Artur Mas, depois de revés nas regionais

Por Da Redação 21 dez 2012, 14h26

Depois de fracassar nas eleições regionais, o líder independentista Artur Mas, do partido Convergência e União (CiU), foi reeleito nesta sexta-feira presidente do governo regional da Catalunha. Sua vitória foi assegurada pelos votos de sua legenda e também do partido independentista Esquerda Republicana da Catalunha (ERC).

Juntas, as duas legendas somaram 71 votos, três acima da maioria absoluta do Parlamento catalão. Ele tomará posse na segunda-feira e deverá formar o novo governo na quinta-feira.

O novo Parlamento regional, eleito no dia 25 de novembro, foi constituído na última segunda-feira. No pleito, Artur Mas esperava conseguir a maioria absoluta de 68 assentos, mas sua bancada acabou diminuindo de 62 para 50 deputados.

Saiba mais:

Saiba mais: Espanha vive incerteza com eleições que pretendem levar a Catalunha à independência

Continua após a publicidade

O CiU continuou sendo a maior bancada do Parlamento, mas foi obrigado a fazer alianças com outras forças políticas para poder governar. O pacto de governabilidade fechado com a ERC, legenda de esquerda independentista, permitiu a reeleição de Mas.

A ERC comemorou os resultados das eleições regionais ao tornar-se a segunda maior força parlamentar catalã – sua bancada aumentou de 10 para 21 deputados, deixando para trás o Partido Socialista, que ficou com 20 cadeiras ao perder 8 deputados.

O acordo entre CiU e ERC prevê a realização, no prazo de dois anos, de um referendo sobre a soberania da Catalunha. No entanto, o acordo contém uma cláusula que permite adiar esse referendo por causas justificadas. O governo espanhol lembrou às autoridades regionais catalãs que uma consulta como a que pretende realizar não está contemplada na Constituição, por isso seria ilegal.

O pacto prevê também a entrada em vigor de 9 novos impostos, incluindo um sobre os depósitos bancários. O acordo foi alcançado apesar de a ERC não concordar com a política de austeridade aplicada pelo governo de centro-direita de Artur Mas.

A comunidade autônoma da Catalunha, com 7,5 milhões de habitantes, é responsável por 18% do PIB espanhol, e é uma das mais ricas da Espanha. Este ano, no entanto, precisou recorrer ao fundo de resgate criado pelo governo espanhol para as regiões com problemas de financiamento.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade