Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com 740 mm de chuva em 12 horas, dilúvio na Itália quebra recorde europeu

Em menos de um dia, noroeste italiano registrou quase cinco vezes mais chuva do que previsto para todo o mês de outubro

Por Da Redação Atualizado em 6 out 2021, 14h56 - Publicado em 6 out 2021, 14h54

Uma forte tempestade atingiu o noroeste da Itália na última segunda-feira, 4, causando o maior dilúvio já registrado em todo o continente europeu. Ao longo de 12 horas consecutivas, cerca de 740 mm de chuva caíram por toda a região de Gênova, em mais um evento extremo na Europa potencializado pelas mudanças climáticas. 

A quantidade de chuva vista ao longo das 12 horas é mais da metade esperada na região ao longo de um ano inteiro. Esse número é quase cinco vezes maior do que o previsto em todo o mês de outubro no noroeste italiano, que varia entre 150 a 180 mm. 

Segundo os meteorologistas, também há um recorde para a quantidade de chuva em seis horas na Itália: na comuna de Cairo Montenotte, mais de 470 mm de água foram despejados durante o período. 

Na região de Vicorromasso, próxima à comuna de Rossiglione, foi visto o volume de 185 mm de água em apenas uma hora, quase o dobro das chuvas de 1º de setembro na cidade de Nova York após a passagem do furacão Ida.

Além da enorme quantidade de chuva, as tempestades na região foram responsáveis por uma série de enchentes e deslizamentos de terra e mais de meio milhão de descargas elétricas foram registradas. De acordo com a Associated Press, a cidade portuária de Savona foi a mais atingida e o rio que a atravessa transbordou. 

Não há relatos de vítimas até esta quarta-feira, porém dezenas de pessoas precisaram ser retiradas e resgatadas nas regiões afetadas. As tempestades vieram de uma zona de baixa pressão que se aproximou do sudoeste do Mar Mediterrâneo, com níveis de umidade até 250% acima do normal. 

As mudanças climáticas e o consequente aumento da temperatura estão entre as principais causas do aumento desses fenômenos. Apenas neste verão, inúmeras inundações ocorreram em países como China, Alemanha, Estados Unidos e Holanda. Pouco antes da tempestade cair sobre a Itália, termômetros mostravam 10 graus de temperatura acima da média.

Um novo estudo apresentado em julho deste ano concluiu que enchentes de grande escala como as que têm atingido a Europa podem se tornar muito mais comuns ao longo dos próximos anos. Segundo a pesquisa, existem chances de que esse tipo de evento ocorra com uma frequência 14 vezes maior até o final do século.

Continua após a publicidade

Publicidade