Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Colômbia inicia maior exumação da história do país

Objetivo é encontrar centenas de vítimas da violência sepultadas sob montanhas de escombros

Por Da Redação 27 jul 2015, 21h37

Um grupo de 100 pessoas começou, nesta segunda-feira, na cidade colombiana de Medellín, a maior exumação da história da Colômbia para encontrar centenas de vítimas da violência sepultadas sob montanhas de escombros.

No setor chamado La Arenera, um dos lixões de escombros do bairro Comuna 13, se encontraram autoridades locais e nacionais e parentes de desaparecidos para inaugurar o projeto La Escombrera, que reunirá analistas por cinco meses na região. Estima-se que entre 90 e 300 pessoas foram enterradas no local.

“A cerimônia foi comovente e um compromisso com a paz e a reconciliação”, declarou o ministro do Interior da Colômbia, Juan Fernando Cristo, durante o ato que incluiu uma cerimônia religiosa, uma curta passeata e a colocação de flores e velas sobre imagens das vítimas que permanecem sob os escombros, em alguns casos há 13 anos.

Leia também:

Presidente colombiano confirma cessar-fogo de 4 meses com as Farc

Colômbia e Farc anunciam acordo para redução progressiva do conflito

O início destas escavações que, segundo Cristo, “indicam que devemos paralisar esta fábrica de vítimas na qual se transformou a Colômbia e chegar a um fim do conflito”, também se transformou em um espaço no qual os familiares dos desaparecidos exorcizaram a dor que suportaram por mais de uma década.

Continua após a publicidade

“Estamos há 13 anos lutando para chegar ao processo que hoje se inicia. Esta é uma gota de esperança”, disse Luz Elena Galeano, líder da organização Mulheres Caminhando pela Verdade, que agrupa 130 vítimas da violência na Comuna 13.

Nesta área, cenário frequente do conflito armado que castiga Colômbia há mais de meio século, tiveram forte presença o Movimento 19 de Abril (M-19), as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o Exército de Libertação Nacional (ELN). O bairro também foi tomado por diferentes unidades paramilitares, além de grupos criminosos.

Para Galeano, este primeiro passo permitirá que o mundo “se sensibilize” e “se solidarize” com este capítulo doloroso da história da Colômbia e com o qual se evidencia que “a Comuna 13 é uma vala comum”.

O responsável por exumações da Direção Nacional de Justiça Transicional do Ministério Público, Gustavo Andrés Duque Serna, deu detalhes da primeira fase da maior exumação da história do país. Segundo Serna, homens com maquinaria pesada removerão 20 mil metros cúbicos de terra. Posteriormente, um grupo de criminalística começará uma “remoção mais cuidadosa”, quando estiverem mais perto do setor no qual, de acordo com as investigações preliminares, poderiam encontrar alguns corpos.

“Faremos até o impossível para recuperar nossos mortos”, declarou Serna sobre as escavações.

No meio da satisfação gerada pelo início da exumação, parentes de vítimas solicitaram às autoridades que se concentrem também em realizar escavações no setor Terrígenos, outra área na Comuna 13 na qual “há outras valas comuns” e que ainda não foi fechada para iniciar as investigações.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade