Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cinegrafista de TV russa morre no leste da Ucrânia

Anatoli Klian tinha 68 anos e trabalhava para a principal emissora russa, Pervy Kanal. Moscou acusa o Exército ucraniano de responsável pela morte

Um cinegrafista do principal canal de televisão russo morreu ao ser atingido por um tiro no leste da Ucrânia, cenário de uma insurreição armada pró-Rússia, anunciou nesta segunda-feira a emissora Pervy Kanal. A rede de televisão acusou as forças ucranianas de serem responsáveis pela morte do cinegrafista. As acusações ganharam eco em um comunicado do ministério russo das Relações Exteriores, que exigiu das autoridades ucranianas uma “investigação objetiva” sobre a morte do profissional, com a punição dos militares responsáveis.

Moscou também considera que a morte do cinegrafista é uma demonstração de que “as forças ucranianas não querem o fim dos confrontos” e impedem a implementação do cessar-fogo. Anatoli Klian, de 68 anos, é o terceiro jornalista russo morto desde o início do conflito. Ele realizava uma reportagem com rebeldes nas imediações de uma unidade militar ucraniana da região de Donetsk, segundo o canal.

Leia também

Ucrânia prolonga cessar-fogo com rebeldes separatistas

União Europeia assina acordo de aproximação com a Ucrânia

Quatro observadores europeus são libertados no leste ucraniano

Klian estava com um grupo de jornalistas russos levados por insurgentes da autoproclamada República de Donetsk para um encontro com mães de soldado. “Chegando ao local, aconteceram os tiros procedentes dos militares. Anatoli Klian recebeu um tiro mortal no abdome”, anunciou a emissora em sua página na internet. O Comitê de Investigação controlado pelos separatistas pró-russos anunciou a abertura de um inquérito por “uso de meios e métodos de guerra proibidos e assassinato de uma pessoa durante sua atividade profissional”.

“Anatoli Klian é mais uma vítima das autoridades ucranianas, que ignoram as normas internacionais de defesa da população em período de conflito”, afirma o Comitê em um comunicado. Klian trabalhava há 40 anos para a televisão russa e participou em várias missões em regiões consideradas difíceis, segundo o Pervy Kanal. O motorista do ônibus que transportava os jornalistas também foi ferido no tiroteio e está hospitalizado.

Segundo a agência russa RIA Novosti, uma caminhonete com jornalistas do canal LifeNews foi atacada neste domingo com lança-granadas. Não houve vítimas fatais e nem feridos. Em 17 de junho, dois jornalistas da TV pública russa morreram na região de Lugansk. Além disso, o fotógrafo italiano Andrea Rocchelli morreu perto de Slaviansk no fim de maio, assim como seu auxiliar russo Andreï Mironov.

(Com agência France-Presse)