Cinegrafista de emissora libanesa morre por disparos na fronteira com a Síria

Por Da Redação - 9 abr 2012, 11h42

Beirute, 9 abr (EFE).- Um cinegrafista de uma emissora libanesa morreu nesta segunda-feira na região de Wadi Khaled, que faz fronteira com a Síria, por disparos procedentes do lado sírio, informaram à Agência Efe fontes militares libanesas.

A vítima, identificada como Ali Chabaan, de 31 anos, trabalhava para o canal ‘Al Yedid’, e no momento dos disparos estava com outros dois jornalistas, que saíram ilesos.

Um deles, Hussein Jreis, explicou à emissora ‘Al Yedid’ que soldados sírios dispararam contra seu veículo quando circulavam por Wadi Khaled, onde se refugiaram milhares de sírios fugindo da violência em seu país.

Os três jornalistas conseguiram sair do carro, que tinha o nome visível da emissora de televisão, mas Chaaban ficou ferido gravemente e morreu no hospital para onde foi levado.

Publicidade

Jreis denunciou que os militares sírios continuaram disparando contra o veículo, por isso que ficaram por três horas no chão antes de o exercito libanês e os moradores de Wadi Khaled prestarem socorro.

Visivelmente emocionado, o jornalista afirmou que eles estavam em território libanês e que essa região não era considerada perigosa.

Este fato coincide com a morte de duas pessoas em um campo de refugiados sírios situado na fronteira turca por disparos do Exército sírio.

Enquanto morreram dezenas de pessoas nesta segunda-feira pelos ataques das tropas do regime, segundo a oposição, falta apenas um dia para que expire o prazo para iniciar o plano de paz do enviado especial das Nações Unidas, Kofi Annan. EFE

Publicidade