Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Cinco corpos de alpinistas são encontrados no Himalaia

A Força Aérea Indiana realizava buscas por oito alpinistas desaparecidos há uma semana; operações foram suspensas pelo mau tempo na região

Por Da Redação
3 jun 2019, 13h31

A Força Aérea Indiana encontrou cinco corpos na Cordilheira do Himalaia, durante as buscas por oito alpinistas desaparecidos há uma semana na região.

O juiz do distrito, Vijay Kumar Jogdande, disse que as vítimas foram encontradas nesta segunda-feira, 3, pouco antes da operação no norte do estado de Uttarakhand ser suspensa pelo mau tempo.

Uma ação para localizar os outros três montanhistas será realizada na terça-feira, 4. As autoridades responsáveis estão em contato com o Exército da Índia para organizar o trabalho de recuperação dos corpos.

A descoberta desta segunda veio à tona depois dos socorristas dizerem que as esperanças de encontrar os alpinistas com vida eram mínimas. No domingo 2, dois helicópteros da Força Aérea procuraram o grupo nos arredores de Nanda Devi, o segundo ponto mais alto do Himalaia, com 7.400 metros, o destino final dos aventureiros.

A operação também foi suspensa por nevascas e pelo vento forte. Entre os desaparecidos estão quatro britânicos, dois americanos, um australiano e um indiano.

Continua após a publicidade

Poucos dias antes de sumir, em 22 de maio, os alpinistas estavam acampados em um ponto a 4.870 metros de altura e se preparavam para escalar um pico pouco explorado e ainda não identificado, segundo informações das postagens dos expedicionários no Facebook. Companheiros da equipe chamaram a polícia depois que eles demoraram para voltar à base.

No dia 25 de maio, o líder da expedição, Mark Thomas, voltou ao campo com três companheiros. O resto do grupo continuou na tentativa de subir até um pico de 6.477 metros de altura.

Quando eles não voltaram no prazo previsto, um dos membros da equipe enviou o alerta às autoridades, apenas madrugada de sexta-feira 31. Os quatro alpinistas no acampamento foram buscados por um helicóptero no sábado e identificados pela televisão indiana como Thomas, Ian Wade, Kate Armstrong e Zachary Quain.

As buscas pelos desaparecidos revelaram sinais de uma avalanche na rota planejada pelo grupo, de acordo com duas autoridades do estado.

Os alvos da operação, segundo a polícia local, são Martin Moran (o líder da expedição), John McLaren, Rupert Whewell e Richard Payne, todos do Reino Unido, Anthony Sudekum e Ronald Beimel, dos Estados Unidos, Ruth McCance da Austrália, e Chetan Pandey, um guia da Fundação Indiana de Montanhismo.

Continua após a publicidade

Medo de acidentes

Única mulher do grupo, McCance é uma alpinista experiente. Em um blog pessoal, ela explicou que parou de praticar o esporte entre os 30 e os 47 anos pelo medo de acidentes. “Por mais que eu amasse isso e visse outros escalando com segurança, fui sufocada pelos riscos envolvidos, então parei.”

“Eu parei de escalar quando tinha 30 anos porque tinha esgotado todas as minhas reservas emocionais e mentais. Eu não sabia na época, mas eu estava lutando com uma tempestade de crenças hereditárias, como ‘não abuse de sua sorte’ e ‘não confie em si mesmo'”, completou a australiana. “Cada vez que escalo com sucesso, em vez de confirmar minha competência, sinto que foi apenas outra fuga bem sucedida de um acidente inevitável.”

Já Moran, o líder do grupo, foi parte do primeiro grupo a alcançar um pico de mais de 4.000 metros de altura sem assistência motorizada, em 1993. Sua família disse em comunicado que iria pedir a expansão da área de buscas.

Na nota, divulgada pelo jornal The Guardian, os parentes do britânico exigiram a continuidade das operações até que a localização de todos os desaparecidos seja esclarecida. O número de vítimas na região do acidente é cinco vez mais alta que no Monte Everest, de acordo com dados oficiais.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.